Fim da aposentadoria rural: em uma semana, Bolsonaro aumenta ataques contra o povo

bolsonaro-tereza-cristina

Da redação – A imprensa golpista está noticiando que Bolsonaro pretende “passar o pente-fino em diversos benefícios da previdência”, isto é cortar os direitos de diversos setores da população.

A aposentadoria rural, o auxílio-reclusão e a pensão por morte podem ser totalmente cortados dos gastos do governo golpista. Em todos os casos, revela que o governo Bolsonaro é um governo que ameaça toda a população.

No caso da aposentadoria rural, é ainda mais absurdo, pois pretende passar por cima dos direitos de dezenas de milhões de trabalhadores rurais – mostrando que o governo de fato é capacho dos latifundiários exploradores, que financiaram o golpe de estado.

O ataque é um ataque generalizado contra toda a previdência da população, explícita na Reforma da Previdência que o antecessor golpista, Michel Temer, tentou levar adiante. O objetivo é que a população não tenha o direito de se aposentar e trabalhe até morrer.

O presidente pretende enviar uma medida provisória (MP) para o Congresso, no sentido de “rever as regras” previdenciárias e analisar os direitos concedidos pelo INSS. Quer dizer, fazer uma análise no sentido de cortar os direitos de uma grande parcela do povo.

As contas demonstram que serão cerca R$ 9,3 bilhões retirados dos trabalhadores em um período de um ano. Percebe-se, então, a amplitude dos ataques de Bolsonaro contra a população.

Foi para isso que serviu a “luta contra a corrupção”: colocar um inimigo do povo no poder para tirar do povo mais do que qualquer suposto escândalo inventado pela direita.

Por isso, é preciso mobilizar intensamente contra Bolsonaro. o Fim da aposentadoria rural é um ataque contra todos os trabalhadores agrários. O MST, a FNL e todos os movimentos de terra precisam se unir com os comitês de luta contra o golpe e ecoar a palavra de ordem pela derrubada do governo ilegítimo: “Fora Bolsonaro e todos os golpistas”