Tribunal
A Editora Versátil lançou um box com um coletânea de seis filmes de tribunal. Em todos, fica evidente como a Justiça é um instrumento da direita para esmagar o povo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
image-w1280
Cena de julgamento no cinema | Foto: Reprodução

A editora Versátil anunciou o lançamento de um box sobre filmes de tribunais. Seis filmes são reunidos em uma coletânea.  Os filmes disponíveis são: A Verdade (1960), Juventude Selvagem (1961),  O Crime não Compensa (1949), Caso Dominici (1973), Dois São Culpados (1963) e Atentado ao Pudor (1967).

Os filmes retratam dramas que têm como pano de fundo os tribunais. Em geral, focalizam as interações entre as personagens em um contexto de investigações e julgamento de crimes. É interessante observar como os processos judiciais são atravessados por disputas políticas. Os juízes, o processo-crime, os julgamentos e as sentenças nunca são neutros e puramente jurídicos, mas sim elementos de uma luta política que se trava entre as partes e que remonta à luta geral na sociedade, isto é, à luta entre as classes sociais.

A Justiça é um instrumento da burguesia para impor sua dominação política sobre o conjunto das classes exploradas.  O conjunto das leis e da estrutura jurídico-política do Estado é a força, a dominação de classe, transformada em normal geral (lei) e erigida em uma superestrutura. Os filmes reunidos em coletânea se passam em distintos contextos históricos e sociais, mas essa consideração perpassa todos os dramas. O cenário de cada crime demonstra um panorama social e os julgamentos revelam os mecanismos de funcionamento da sociedade.

Como exemplo de filme notável que se passa em um tribunal, podemos citar o clássico italiano Sacco e Vanzetti. Dois militantes anarquistas italianos são condenados à pena de morte na cadeira elétrica e executados nos Estados Unidos.

O contexto histórico é o do Red Scare (Pânico Vermelho) que se seguiu à Revolução de Outubro de 1917 nos Estados Unidos. A burguesia americana, impactada pela Revolução Russa, implementou uma implacável perseguição contrarrevolucionária à esquerda. Todo o aparelho repressivo do Estado foi direcionado para destruir as organizações políticas e sindicais dos trabalhadores. Os departamentos municipais de polícia e o FBI se destacaram nas prisões massivas e na repressão política. Mais de 5 mil italianos foram acorrentados e deportados na cidade de Boston.

Sacco, um operário especializado, e Vanzetti, vendedor de peixe, foram condenados por assalto armado a uma fábrica em um processo judicial recheado de ilegalidades, sem provas e com acusações e testemunhas forjadas. Os julgamentos foram marcados por arbitrariedades, inclusive foi utilizado contra eles o fato de serem estrangeiros e não dominarem a língua inglesa. A promotoria buscou manipular o juri, com insinuações de que eles não eram leais aos Estados Unidos e representavam crenças estrangeiras. O processo de perseguição sistemático à esquerda nos Estados Unidos no período pós 2ª Guerra Mundial,, conhecido como Macarthismo, teve origem neste contexto.

Os filmes de tribunais, de uma maneira ou de outra, demonstram como a justiça é um aparelho político utilizado  pela direita para esmagar o povo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas