Siga o DCO nas redes sociais

Acabou a “mamata”?
Filho de general que serve nos EUA ganha 11 mil como jornalista na EBC
Um prêmio pelos serviços que o general Alcides Valeriano de Faria Júnior presta ao imperialismo dos EUA
2020. Bolsonaro e Mourão
Acabou a “mamata”?
Filho de general que serve nos EUA ganha 11 mil como jornalista na EBC
Um prêmio pelos serviços que o general Alcides Valeriano de Faria Júnior presta ao imperialismo dos EUA
Bolsonaro e Mourão na posse, em janeiro de 2019: Marcelo Camargo/Agência Brasil
2020. Bolsonaro e Mourão
Bolsonaro e Mourão na posse, em janeiro de 2019: Marcelo Camargo/Agência Brasil

No último dia XX, o filho do general Alcides Valeriano de Faria Júnior, Lucas Faria, estagiário na Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), foi nomeado para um cargo de assessoria com salário de cerca de R$ 11.000,00 reais na estatal.

General Alcides Valeriano de Faria Júnior. General golpista subordinado do imperialismo dos EUA.

A nomeação é um escárnio. De estagiário a assessor com gordo salário, Faria passa a receber uma remuneração base de R$ 7.000,00 reais a mais que jornalistas que prestaram concurso público para entrar na empresa. Para os coxinhas, que adoram falar em mérito, o grande “mérito” de Faria, que é recém-formado em jornalismo, é ser filho de um general.

Até então, pareceria mais um caso, de um sem número na experiência dos brasileiros, de corrupção dos militares. No entanto, o general de brigada Alcides Valeriano de Faria Júnior vai além disso. Ele foi indicado, no início do governo golpista, para o Comando Sul das Forças Armadas dos EUA, para o cargo de subcomandante de interoperabilidade. Sendo a 1ª vez que um oficial das Forças Armadas foi integrado ao Comendo SUL, o que mostra o aumento do capachismo do governo brasileiro sob o controle dos golpistas.

As articulações para a indicação de um brasileiro para o cargo começaram em 2017, durante o governo golpista de Temer. No entanto, a nomeação foi anunciada pelo almirante Craig Faller, líder do Comando Sul, durante pronunciamento no Senado americano, em fevereiro de 2019, já no governo golpista de Bolsonaro.

Segundo o militar estadunidense afirmou na época, a nomeação fazia-se necessária para aumentar o poder de repressão coletivo às crises no continente:

[Os Estados Unidos estão] trabalhando com [países] aliados e parceiros para desenvolver o conceito de uma força-tarefa multinacional capaz de agir em diferentes escalas, dentro das estruturas de cooperação de segurança já existentes, para melhorar a capacidade coletiva de responder rapidamente às crises.”

O general Faria Júnior, de 52 anos de idade, passou pela Comunicação Social do Exército (CCOmsex), em Brasília e comandou a 5ª Brigada de Cavalaria Blindada em Ponta Grossa-PR. Após indicação das Forças Armadas passou a ser subordinado do Comando Sul, estará encarregado das áreas de “assistência humanitária e alívio de desastres do Exército Sul americano”, leia-se apoio a golpes de Estado e às oposições golpistas em países não alinhados com o imperialismo.

O que mostra que, diferente do que propagava a direita em campanha pró Bolsonaro, a mamata apenas começou. Como nos tempos da ditadura de 64, militares vão colocando seus filhos em cargos nas estatais e se entranhando na maior máquina de mamata que os capitalistas já criaram: o Estado burguês.