Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

O jornal golpista Estado de S. Paulo publicou no dia 8 de janeiro, através da coluna da jornalista Andreza Matais, que o TST (Tribunal Superior do Trabalho) julgará em fevereiro o destino do plano de saúde dos trabalhadores dos Correios.

Da mesma maneira dos processos de perseguição política promovida pela operação golpista Lava Jato aos dirigentes do PT, a imprensa golpista sabe antes dos interessados a data e informações dos processos judiciais no país.

Além da jornalista da imprensa golpista já saber de antemão que o processo será julgado em fevereiro (os trabalhadores sequer foram notificados), também obteve a informação de que a direção golpista da ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) fez uma proposta de que o plano seja custeado pela empresa, apenas aos funcionários, excluindo os dependentes dos trabalhadores do benefício.

O plano de saúde dos trabalhadores dos Correios é uma conquista obtida ao longo de vários anos de luta da categoria que, pelo motivo de possuir o pior salário de todas as estatais (média salarial de R$ 1,500), teve como política de compensação a melhoria desse benefício.

É por isso que o plano de saúde dos Correios tem como direito dos trabalhadores incluir seus dependentes, inclusive pais e mães que possuem uma renda menor que 2 salários mínimo.

Os golpistas do PSD (Partido Social Democrata), que controlam nesse momento a estatal, querem acabar aos poucos com esse benefício, e por isso, em acordo traidor assinado pelos sindicalistas dos Correios que formam o novo “Bando dos Quatro” (PT, PSTU, PCdoB e diretores do Sintect-MG-LPS) conseguiu entregar o destino do plano de saúde aos ministros golpistas do TST.

Para impedir o desastre, ou seja, que os ministros patronais do TST, presidido pelo golpista Ives Gandra Martins Filho, excluam os dependentes dos trabalhadores e comecem a cobrança de mensalidades, os trabalhadores dos Correios devem se organizar para uma greve no mês de fevereiro, com caravanas de trabalhadores indo a Brasília, realizar um grande ato em frente do TST no dia do julgamento do melhor benefício da categoria, o plano de saúde.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas