Ficha Limpa é instrumento de perseguição política: candidato do PCO é impugnado em Santa Catarina

Angelo 'Castro

Em Santa Catarina, a imprensa golpista começou uma campanha frenética contra o PCO e seu candidato ao governo do Estado, Ângelo Castro que já aparece nas pesquisas com 4% das intenções de voto.

Segundo a imprensa golpista do Estado, que tenta o tempo todo esconder os candidatos do PCO, nesse caso estão dando ampla divulgação e interpretação do pedido do Tribunal Regional de Santa Catarina (TRE-SC) para impugnar a candidatura do PCO no governo do Estado. Ângelo Castro está sendo impugnado pela lei da ficha limpa.

Acontece, que ao contrário da campanha da direita e da esquerda pequeno burguesa, ao estilo chave de cadeia, como o PSOL, a lei da ficha limpa é para pegar candidatos da esquerda, ligados ao povo, à classe operária e não os corruptos.

Para o juízes do TRE-SC,  Ângelo é inelegível por que teve um processo contra si, um processo que os juízes chamam de atentado contra a fé pública.  Ou seja, Angelo foi acusado por ter declarado em uma viagem de serviço em 2013, ter gastado mais do que gastou, uma diferença de cerca de R$ 100,00.

Para não ter problemas com a empresa, Ângelo Castro pagou a diferença que a empresa queria, e se manteve no emprego até os dias de hoje. Mas o processo de Ângelo foi parar nas mãos dos procuradores direitistas que atuam contra o povo no Brasil, e levaram a denúncia até o seu julgamento, que acabou tendo como relator o desembargador João Pedro Gebran Neto do TRF4.

Isso mesmo, o relator do processo de Ângelo é o mesmo desembargador que presidiu a farsa do julgamento de recurso dos advogados de Lula no TRF4. Que na oportunidade, Gebran disse que a sentença do juiz golpista Sérgio Moro era uma maravilha, irretocável, e não satisfeito, aumentou a pena contra Lula, dada pelo golpista de Curitiba.

Como Ângelo Castro do PCO, o Brasil está cheio de trabalhadores que tem algum tipo de processo, devido ao Estado policialesco que o país se transformou, e esse Estado repressor tem como operadores dessa máquina de prender gente, indivíduos fascistas, adoradores dos Estados Unidos, contra o povo, como Sérgio Moro, Dallagnol e João Pedro Gebran.

É por isso, que o PCO sempre fez campanha contra a lei da ficha limpa, alertando que ela não é para impedir corruptos de se candidatar, uma vez que todos os políticos corruptos ligados aos partidos da direita brasileira que foram denunciados por receber propina para votar leis contra o povo no Congresso Nacional, estão aptos para serem reeleitos.

Mas, os candidatos da esquerda, ligados ao povo serão caçados por mais esse instrumento da burguesia contra a participação do povo nas eleições. Maluf, Collor, Aécio Neves, Bolsonaro, Alckmim e tantos outros estão com a ¨ficha limpa¨.

Mas quem luta, se opõe ao golpe, será perseguido, caçado como Lula, como Ângelo.

Os juízes biônicos do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que não são eleitos, que sob essa corporação paira denúncias de corrupção, como venda de sentenças, querem escolher em quem o povo deve votar. Ou seja, seja, no sistema político brasileiro, o voto de um juiz, vale mais do que a intenção de votos de 50 milhões de votos, como já indica as pesquisas de intenção de votos em Lula.