Interior de SP
O prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira (PSDB), autorizou ação de despejo violento realizada na sexta (29). 15 famílias tiveram suas casas destruídas e foram atiradas na rua
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
WhatsApp-Image-2020-05-30-at-14.17.10-2
Duarte Nogueira (PSDB) destroi casas e pertences e atira as famílias no olho da rua. | Filipe Augusto Peres

Na manhã da sexta-feira (29), cerca de 15 famílias sem teto da Comunidade Mangueiras, localizada no município de Ribeirão Preto (interior de São Paulo), foram acordadas por tratores e máquinas da Fiscalização Geral da prefeitura, que destruíram suas casas e seus pertences pessoais.

O prefeito fascista Duarte Nogueira (PSDB) autorizou a ação de despejo das famílias em meio à pandemia do Covid-19. A área pertence ao poder público municipal e estava abandonada, sem nenhuma utilização, servindo apenas para a especulação imobiliária.

A ocupação da área ocorreu neste mês de maio. Atingidas pelo desemprego e absolutamente desamparadas em todos os sentidos, as famílias ocuparam o local para ter o direito à moradia e tentar se proteger da infecção pelo coronavírus. O despejo violento se deu sem mandado judicial e não seguiu nenhum protocolo para a retirada das famílias e sua realocação em outro local.

A operação se deu sem o acompanhamento da Secretaria de Assistência Social e do Conselho Tutelar. O prefeito tucano evidencia seu caráter fascista, na medida em que atira famílias inteiras no olho da rua para a exposição e morte em meio à pandemia.

O despejo em Ribeirão Preto é mais uma prova de que não há qualquer preocupação por parte dos governos burgueses com a situação da população e o risco do coronavírus. A burguesia tem organizado a retomada das atividades econômicas no momento de ascensão do número de contágios e mortes. Na cidade interiorana são 27 óbitos decorrentes da doença e 1.217 infectadas até o dia 1º de junho. No Brasil, são 530.733 casos confirmados e 30.079 mortes.

Enquanto a esquerda fica com a política de “ficar em casa”, as forças repressivas do Estado avançam sobre os direitos da população. Para se poder ficar em casa e praticar o isolamento social, é preciso ter uma moradia. A ação da Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto, sob administração tucana, significou a destruição da moradia de dezenas de famílias. A única possibilidade de seguir as recomendações destas famílias, que se materializou na ocupação do terreno abandonado, tornou-se inviável pela própria ação do Estado.

É preciso que os partidos de esquerda e as organizações operárias e populares rompam com a paralisia e convoquem o povo para lutar contra a extrema-direita que controla o aparelho de Estado e o utiliza para a garantia de seus interesses econômicos. A pandemia do Covid-19 não suspendeu a luta de classes; pelo contrário, o que se visualiza é sua intensificação.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas