Festival Lula Livre: povo e artistas em ação pela liberdade de Lula

festiva2

Ocorreu nesse Domingo (02/06/19) o Festival Lula Livre na Praça da República em São Paulo com a presença de muitos artistas que apoiam a luta contra a prisão política do ex-presidente Lula. A lista de artistas que apoiam essa luta fundamental para derrotar o golpe de Estado instalado no país é grande. Estavam presentes Emicida, Rael, Criolo, Baiana System, Aíla, Dead Fish, Chico César, Filipe Catto, Mombojó, Odair José, Otto, Thaíde, Junu, Everson Pessoa, Unidos do Swing, Francisco El Hombre, Arnaldo Antunes, Slam das Minas, Bia Ferreira, Doralyce Soledad, Lirinha, Ilú Oba de Min, André Frateschi e banda, Márcia Castro, Zeca Baleiro, Isaar, Junio Barreto, Fernanda Takai, MC Poneis, Tulipa, Chico Chico e Duda Brack, Mistura Popular, Triz, Anelis Assumpção e Drik Barbosa.

Apesar da chuva, que caiu dos céus de São Paulo praticamente durante todo o dia, uma multidão compareceu ao evento que se transformou num grande ato político e cultural pela liberdade de Luis Inácio Lula da Silva. Ao longo do dia diversos artistas se posicionaram contra a farsa montada para prender um dos líderes políticos mais populares em todo mundo.

O cantor e compositor Lirinha, do grupo Cordel do Fogo Encantado, foi um dos vários artistas presentes que declarou “estou hoje em uma praça pública da maior cidade do nosso país, engrossando o coro da população por Lula Livre. Essa prisão simboliza todas as injustiças que fazem parte da história da nossa querida nação”. O cantor e compositor Otto afirmou que  “O único líder no mundo capaz de reunir uma massa destas é Lula, e é pelo que ele fez por esse país. Devolvam Lula ao povo! Não façam isso com uma pessoa de 74 anos, que trabalhou, que amou e que foi honesto com este país”. O cantor e compositor Odair José cantou uma de suas músicas de maior sucesso e declarou que era pro Lula o trecho “Eu vou tirar você desse lugar…”.

O ex-presidente enviou uma carta para o festival, que foi lida pelo seu neto Tiago. “Agradeço de coração a cada uma e a cada um de vocês, artistas e público, que nesse 2 de junho fazem da praça da República a Praça da Democracia. Embora tenha o nome de “Festival Lula Livre”, sei que esse é muito mais que um ato de solidariedade a um preso político. O que vocês exigem é muito mais que a liberdade do Lula. É a liberdade de um povo que não aceita mais ser prisioneiro do ódio, da ganância e do obscurantismo”, afirmou o ex-presidente no texto.

O evento foi um grande acerto político do Comitê Lula Livre e demonstrou mais uma vez que a luta pela liberdade do ex-presidente Lula é uma pauta que mobiliza cada vez mais grandes camadas do povo trabalhador, que cada vez mais toma consciência do golpe que foi operado no Brasil. Os atos dos dias 15 e 30 de maio foram uma clara demonstração de que o povo brasileiro entrou num processo de mobilização que tende a colocar em xeque o golpe e os ataques do governo golpista de Jair Bolsonaro.

Ao contrário do que diz um setor da esquerda que procura se adaptar ao golpe de Estado, como Marcelo Freixo do PSOL, que declarou que o “Lula livre não unifica a esquerda”, a grande participação popular no evento demonstra que a luta pela liberdade de Lula é vista como fundamental por parcelas cada vez maiores para derrotar o golpe de Estado.