Querem calar os jogadores
Os setores capitalistas que controlam o futebol na Alemanha, querem calar os jogadores e barrar a polarização política ocorrida pelo assassinato brutal de George Floyd pela polícia
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
sancho-hakimi-thuram-mckennie-bundesliga_790xgg9tqblm1w3u7bsvtrhov (1)
Jogadores mostraram seu posicionamento nos gramados sobre a morte de George Floyd. | Foto: Reprodução/Goal.com

O assassinato de George Floyd, negro de 46 anos, nos EUA pela polícia local da cidade de Minneapolis, onde policial branco ajoelhou em seu pescoço por eternos 9 minutos, causando morte por asfixia, resultando em mais um negro morto pela polícia. O ocorrido levantou uma grande polarização política não apenas nos EUA mais em diversos países.

Os jogadores que disputam a liga Bundesliga, campeonato alemão que retornou às atividades, após pressão dos setores capitalistas pelo fim da quarentena do Covid-19, mostraram um posicionamento político pelo acontecimento ocorrido.

Nos últimos dias, jogo sem expressão para sites e jornais capitalistas da Alemanha, disputado pelo Borussia Dortmund e Pederborn, chamou atenção, após Jason Sancho e Achraf Hakimi do Dortmund, exibir camiseta depois de marcar gol contra o lanterna da liga, pedindo justiça para Floyd.

No final de semana, Weston McKennie, jogador norte-americano do Schalke 04, enfrentava o Werder Bremen, o atleta carregava uma braçadeira também pedindo justiça para o negro morto pela polícia nos EUA. O jogador também ressaltou que “vidas negras importam”.

O aumento da polarização política dos jogadores, está fazendo a Federação Alemã de Futebol, exercer regras para censurar qualquer tipo de manifestação política dentro dos gramados. Os capitalistas reuniu um Comitê de Controle Disciplinar que nos próximos dias irá avaliar a conduta de cada jogador se cabe ou não punição.

O atleta norte-americano, McKennie, concedeu entrevista mostrando que mesmo que a Federação o puna, seu posicionamento não irá mudar e muito menos acabar.

“Continuarei prestando homenagem a George Floyd. Se eu tenho que ser punido por falar o que penso, defender aquilo em que acredito, que seja.” declarou McKennie em entrevista para Forbes.

É importante ressaltar que a Federação não hesitou em fazer política, através de um poderoso lobby, movendo fundos com diversos políticos de direita para obter apoio governamental pela volta das atividades esportiva no país.

O futebol é controlado por setores capitalistas que obtém o apoio da direita no país. Esses setores são os mesmo que querem acabar com as torcidas organizadas que se colocaram contra o retorno imediato do futebol em seu país e agora querem calar a boca dos jogadores.

Fato é que os capitalista querem controlar todo o futebol alemão, implantando grande monopólios para controlar os clubes, “clube-empresa”, além de colocar uma ditadura aos jogadores, mostrando o que pode ou não pode dizer.

É necessário que os jogadores enfrentem os ataques dos capitalistas e os torcedores se organizem para expulsar e tomar o controle da federação.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas