FBP convoca Congresso do Povo e mobilização contra prisão de Lula

Diante do agravamento da crise política, com a ameaça iminente de prisão do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, a partir do final de fevereiro, depois da da rejeição de seu recurso em um novo julgamento fraudulento no TRF-4, de Porto Alegre, importantes organizações do movimento de luta contra o golpe estão intensificando as deliberaçoes no sentido da mobilização dos trabalhadores da juventude.

A Frente Brasil Popular, que reune as maiores organizações populares, sindicais e da juventude, partidos da esquerda que participaram da luta contra o impeachment e toda a operação golpista – como PT, PCO e PCdoB -, deliberou em reunião nacional, na primeira semana de fevereiro, FBP convoca Congresso do Povo e mobilização contra prisão de Lularealizar uma jornada de lutas de 19 a 23 de fevereiro proximo – incluindo um acampamento em São Bernardo do Campo -, bem como colocar em marcha a organização das etapas municipais e estaduais do Congresso do Povo, cuja etapa nacional deverá ser realizada no começo do segundo semestre.

Tais deliberações, como muitas outras que vem sendo adotadas nos últimos dias no sentido de reunir e mobilizar os diferentes comitês de luta contra o golpe apontam no sentido de intensificar a mobilização contra a ofensiva da direita dando um caráter político, geral e necessário à mobilização que precisa ser realizada, sem qualquer ilusão de que a ofensiva da direita, suas medidas de ataque, como a “reforma” da Previdência, e o golpe de conjunto possam ser derrotados por meio de iniciativas exclusivamente jurídicas e parlamentares.

Como ficou expresso na derrubada da presidenta Dilma Rousseff, se confirmou nos brutais ataques aos explorados )congelamentos dos gastos públicos), “reforma” trabalhista e se reafirma na perseguição implacável à Lula, o golpe não será derrotado por meio de um acordo e da submissão da direita golpista e da ditadura do judiciário à qualquer norma constitucional. So a mobilização revolucionária das massas e das suas organizações de luta, nas ruas, e pelos meios que forem necessários pode barrar os ataques e derrotar os golpistas.