Ataque nazista no RS
A fachada da Associação de Moradores da Vila Antônio Leite, em São Leopoldo (RS), amanheceu pichada nesta sexta-feira (03) com suásticas e as palavras “odeio viados e pretos”.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
1445647412
Município de São Leopoldo, onde ocorreu a intimidação nazista | Reprodução.

A presidenta da Associação de Moradores da Vila Antônio Leite e transexual Sara Gonçalves denunciou em sua conta no Facebook uma manifestação nazista contra a sede da Associação ocorrida na madrugada desta sexta-feira (3).

Três pichações com símbolos de suásticas e a frase “odeio viados e pretos” apareceram na fachada do prédio ao amanhecer. A Associação está localizada no bairro Campina, cidade de São Leopoldo (RS), região da Grande Porto Alegre. Sara esclareceu que trata-se de uma ação intimidatória e registrou um boletim de ocorrência virtual.

Sara desenvolve um trabalho relacionado com os direitos da população LGBT e é conhecida pela sua atuação no Grupo de Apoio à Diversidade (GAD) de São Leopoldo. No período da pandemia do Covid-19, a Associação Moradores tem desenvolvido ações sociais, como a entrega de kits de alimentação para a comunidade.

É evidente que a manifestação nazista tem como alvos principais neste momento os movimentos negro e LGBT. A extrema-direita procura se impor pela força aos setores menos organizados e mais frágeis do movimento popular, que têm menor capacidade de reação e defesa. Ainda que Sara Gonçalves tenha registrado um boletim de ocorrência virtual, o fato é que a polícia e as autoridades judiciárias não farão absolutamente nada para protegê-la das intimidações dos nazistas, uma vez que são cúmplices e estimulam a extrema-direita para enfrentar a esquerda.

A formação de Comitês de Autodefesa Negro e LGBT é a política correta para enfrentar os nazistas e pôr um fim às intimidações e ameaças que caracterizam seus métodos históricos de ação. Sem ter nenhuma confiança nas instituições burguesas, os negros e LGBTs devem se organizar, contra-atacar e expulsar a escória nazista das ruas.

A crença nas instituições leva à passividade, o que fortalece a extrema-direita fascista e lhes proporciona confiança em suas ações e serve como estímulo para seguir adiante e avançar contra a esquerda. As autoridades policias e judiciárias do município sabem quem são os nazistas e como eles agem. Contudo, não fazem nada para impedir e lhes proporcionam proteção.

O golpe de Estado de 2016 e a chegada do fascista Jair Bolsonaro à Presidência da República potencializaram a organização dos nazistas no Brasil. O governo Bolsonaro apoia, estimula e protege os nazistas em todo o território nacional.

Em todos os lugares, é notável a ligação e a penetração dos bandos fascistas no aparelho de repressão oficial. O aparelho de repressão estatal é sempre a chocadeira do fascismo. Somente a autodefesa dos explorados e oprimidos, independente das instituições do Estado capitalista, pode fazer frente a ameaça real que representa o fascismo para o conjunto da população e, particularmente, para os negros e LGBTs.

 

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas