Fascistas crescem e primeiro-ministro sueco é destituído pelo parlamento

aa

Nas últimas eleições suecas, que ocorreram no dia 9, a esquerda social-democrata não conseguiu a maioria para governar. Das 349 cadeira, 144 apenas foram para esquerda, enquanto o partido tradicional da direita conseguiu 143 e a extrema-direita fascista 62.

Assim, o atual Primeiro-Ministro da Suécia, o social-democrata Stefan Lofven, foi destituído pelo parlamento por meio de uma moção de censura, e continuará governando, em minoria, interinamente até a formação de um novo governo.

O que se percebe nestas eleições é o crescimento da extrema-direita que detém um papel definitivo para modificar a situação política já que os partidos tradicionais, da esquerda e da direita da burguesia, detém praticamente o mesmo número de parlamentares.

Então as 62 duas cadeiras dos fascistas é definitiva, e eles já anunciaram que vão barrar a formação de um novo governo se eles não tiverem um papel fundamental no poder do estado.