Farra do auxilio-moradia de juízes “”éticos” consome R$ 4 bilhões

Cerimônia de premiação ''Brasileiros do Ano''

Os juízes, “reis da moralidade”, que iriam salvar o País da corrupção, como o magistrado “treinado” pelos EUA – Sérgio Moro; consomem cerca de R$ 4 bilhões dos cofres públicos, de acordo com editorial da Folha, do dia 24 de junho.

Sérgio Moro é o melhor exemplo do que siginifica esse valor, o juíz mora há menos três quilômetros do local que “exerce” sua função, a sede da Justiça Federal de 1o Grau no Paraná. Essa residência tão bem localizada é imóvel próprio, entretanto, Moro recebe o auxílio-moradia. Ou seja, ilegalmente.

Enquanto isso, o ex-presidente Lula é mantido preso ilegalmente acusado, sem provas, de ser dono de um apartamento no qual nunca residiu ou teve posse, desde abril, justamente por conta de um processo fraudulento conduzido por esse “exemplo da moralidade”, que é Sérgio Moro.

O combate à corrupção sempre se trata de uma farsa. O povo não precisa da falsa moral da burguesia, o povo precisa comer, de emprego, de ensino e saúde públicas e de qualidade etc. O “país sem corrupção”, o atual, tem mais 27 milhões de desempregados e subempregados (os famosos bicos), enquanto os golpistas do judiciário recebem “salários” de até R$ 500 mil e ainda ganham “auxílio-moradia”, mesmo quando são proprietários de dezenas de imóveis.

Por isso, é muito importante a luta contra o golpe, que é possível através da concentração dos interessados em comitês. Dias 21 e 22 de julho, na Quadra dos Bancários, em São Paulo, os comitês de todo país darão um salto organizativo através da Conferência Nacional Aberta dos comitês de luta contra o golpe. É aberta, encontre o comitê da sua região, se inscreva e participe.