Liberdade para os presos
Familiares fizeram protesto em São Paulo e reivindicaram a volta das visitas e a liberdade dos presos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Ato pela volta das visitas nos presídios 01
Manifestação na capital paulista. | Reprodução

Nessa sexta-feira (28), familiares de presos de todo o estado de São Paulo protestaram pelo retorno das visitas, no âmbito do Dia Nacional do Combate à Tortura no Sistema Penitenciário. O protesto é um desdobramento dos diversos outros que ocorreram desde que a pandemia se alastrou por todo o país e serviu como um pretexto para a burguesia aumentar ainda mais a opressão contra a classe trabalhadora.

https://www.youtube.com/watch?v=BI7uZ-ydl60

Os presos, como setor mais explorado e marginalizado da classe operária, moradores dos campos de concentração que são os presídios no país, foram os que mais sofreram com a política genocida de Bolsonaro e dos governadores diante da pandemia, uma vez que a situação da superlotação nos presídios é um ambiente ideal para a propagação do coronavírus.

Diante da pandemia, os golpistas, ao invés de libertarem os presos, para diminuir a aglomeração nos presídios e evitar o contágio, adotaram em todos os locais medidas para isolá-los ainda mais, por exemplo com a suspensão das visitas dos familiares dos detentos.

Como tem denunciado sistematicamente este Diário. Em matéria do último dia 22, fica escancarada a política da direita em números:

“De acordo com o Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas (DMF) do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) o número de infectados pelo novo coronavírus em unidades do sistema prisional brasileiro registrou um aumento de 61,7% nos últimos 30 dias, chegando a 24.200 casos e a 165 óbitos. Entre os servidores do sistema prisional e no sistema socioeducativo, o número de contaminados atingiu 3.049 ocorrências até o dia 18 de agosto, um crescimento de 31,5% ao longo do período.”

Para se opor a essa política ultrarreacionária da direita fascista, que vai de Bolsonaro aos governadores “científicos” como João Doria (PSDB), familiares de presos, junto com organizações de esquerda como o Partido da Causa Operária (PCO), têm realizado atos públicos para reivindicar os direitos dos presos, como os ocorridos em Brasília desde o início da pandemia.

Como continuidade dessa luta, que nessa sexta, na capital paulista, famílias se manifestaram para exigir a volta das visitas aos detentos. O ponto central do ato é que entre as reivindicações específicas, os familiares gritaram “Fora Bolsonaro” e “Fora Doria”!

Isso é uma prova de que a população entende que a questão da liberdade e dos direitos democráticos seus e de seus familiares que estão presos, passa necessariamente pelo combate aos fascistas como Doria e Bolsonaro, que atuam para reprimir e destruir todos os direitos e toda a liberdade dos pobres.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas