O procurador da república Deltan Dallagnol
|

As polêmicas envolvendo Deltan Dallagnol vão longe e se estendem até à família, que possui, por exemplo, envolvimento com desmatamento em Nova Bandeirantes (MT), quase na fronteira com Amazonas, onde três tios de Dallagnol figuram como desmatadores. Xavier Dallangol, tio de Deltan, também está envolvido com conflitos de terras e o loteamento ilegal de terras.

Todas as práticas ilícitas ainda incluem uma indenização milionária de 41 milhões no MT, durante o governo de Michel Temer (MDB), e que, segundo o Incra, foi uma indenização totalmente ilegal. Não somente, tanto Xavier Dallagnol, tio de Deltan, e Ninagin Dallagnol, filha de Xavier, atuam na defesa de grandes proprietários rurais envolvidos em esquemas de grilagem no MT, como José Pupin, que tem Xavier como advogado, ou seja, a ficha criminal dessa família é bem extensa.

Tanto Xavier Dallagnol, quanto José Pupin, conhecido como “rei do algodão” e por ter trabalho escravo em suas fazendas, possuem indícios de conversas com lobistas para a compra de sentenças, onde Pupin dava como garantia uma fazenda com o registro fraudado, inclusive onde teve as acusações de trabalho escravo. Lembrando que muitas desses terras que a família Dallagnol possui foram sendo adquiridas no período da ditadura, que favorecia os mais ricos e nunca deixaram que fossem regularizadas as situações das famílias que moram naquelas terras até hoje.

A família Dallagnol é dona de um megalatifúndio no MT, mostrando como os interesses de Dallagnol nunca foram dos melhores, afinal, sua família ensinou bem como participar de esquemas ilegais. Todas essas acusações mostram como os latifundiários pretendem continuar tratando o país, com muita exploração, desmatamento e violência para conseguirem suas terras ilegalmente.

 

 

 

Relacionadas