Precariedade na saúde
Entre os remédios em falta estão sedativos, anestésicos e outros que têm a finalidade de manter o paciente dormindo e sem sentir d
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
coronavírus entubado
Paciente com Covid-19, entubado no Hospital das Clínicas, em São Paulo | Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress

Foi noticiado que os estoques de remédios usados para a intubação de pacientes em cenários graves de Covid-19 estão no vermelho em 22 diferentes estados e no Distrito Federal. Entre os remédios que se encontram em falta estão sedativos, anestésicos, analgésicos e bloqueadores neuromusculares, que são usados em pacientes intubados para que eles não acordem ou sintam dor durante o tratamento.

A princípio, a responsabilidade pela aquisição e distribuição destes medicamentos é dos governos estaduais e municipais. Com a pandemia, no entanto, a responsabilidade também passou a ser do governo federal. O ministro-interino da saúde, Eduardo Pazuello, irá nesta quinta-feira (13) no congresso fazer uma encenação para justificar o cenário de precariedade total em que se encontra o sistema de saúde do país.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas