Falta de verbas já existe, e golpistas querem destruir de vez a universidade pública

Alunos da E.E. Ludovina Credidio Peixoto, especial professor aulas de matemática, educação física e ciências.

Os golpistas estão aniquilando a educação pública brasileira. Os cortes estão sendo brutais, tornando inviável a manutenção da pesquisa e a estadia do aluno na universidade. Bolsas auxílios para indígenas e quilombolas, bolsas para a pós graduação e verba para manutenção da infraestrutura estão sendo sistematicamente cortadas. Os golpistas não descasarão até aniquilar de vez com o ensino público brasileiro.

A PEC do teto dos gastos públicos foi só o prelúdio do que estava por vir. Mal passamos da metade do ano e os mais importantes laboratórios das universidades federais estão alegando que a verba liberada mal consegue manter a situação até 2019.

Se olharmos para o golpe dado no Egito, vemos uma situação parecida: um país que antes ascendia economicamente e agora despenca velozmente e cujas universidade públicas e gratuitas tornaram-se, em sua maioria, lugares de ensino de qualidade baixíssima, e além de tudo, caro. Quem entrou com bolsa na pós-graduação antes do golpe, hoje paga para poder concluí-la.

É somente entendendo que essas medidas de violenta austeridade impostas aos serviços públicos e gratuitos brasileiros são parte do programa levando adiante pelo imperialismo, que poderemos mudar a situação. Somente lutando contra o golpe, e, por consequência, pela liberdade dos presos políticos, sobretudo de Lula. A luta contra o golpe é essencial para derrotar essa política de pilhagem total da educação pública brasileira.