Falta de pessoal eleva exploração dos trabalhadores, da Caixa Econômica, e constrange clientes em Brasília

vt-pis-pasep-orienta

A agência Planalto da Caixa Econômica Federal, localizada no centro da Capital Federal, uma das maiores agências do em Brasília, devido à política da direção golpista do banco com a redução do quadro de trabalhadores (no ano passado dez mil trabalhadores foram demitidos através dos famigerados Planos de Demissão “Voluntário”) aumentou sobremaneira a exploração dos seus empregados. Hoje um funcionário vem executando o serviço que deveria ser feito por três.

O que vem acontecendo na agência Planalto, e essa situação não é exclusiva daquela agência e tão pouco da Caixa, é que os guichês de atendimento estão sendo ocupados por apenas 30% da sua capacidade total, ou seja, dos 13 guichês de atendimento a clientes, que ocupam o espaço térreo da agência, apenas 4 estão atendendo. Para piorar no horário do almoço, logicamente os trabalhadores tem todo o direito de almoçar, o contingente de funcionários cai pela metade. Os clientes, que também são vítimas dos banqueiros sanguessugas, chegam a passar mais de uma hora a espera de atendimento, e os funcionários da agência que não têm qualquer responsabilidade pela situação são obrigados a tentar contornar os problemas das reclamações da população, que se aglomeram nas dependências do banco, quando os verdadeiros culpados pela política de sucateamento da Caixa ficam sentados nos escritórios com ar condicionado, aguinha gelada, etc. articulando qual será o próximo passo que visa a privatização do banco.

O sucateamento das empresas publicas é parte da política da direita golpista que visa a entrega, do pouco que sobrou da famigerada era FHC (PSDB), do patrimônio do povo brasileiro para os banqueiros capitalistas nacionais e internacionais. Para derrotar a política de ataques da direita golpista que se instalou na direção da Caixa a arma é a mobilização da base da categoria organizada sob a palavra de ordem de, Fora Bolsonaro e todos os golpistas. Liberdade para Lula.