nMS testa esconder o óbvio.
Bolsonaro oficializa uma política de menor transparência na divulgação dos dados de mortes e contágio por coronavírus, numa tentativa de enganar a população e evitar mais revolta.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
ministeriosaude-crop-20200519155229-660x372
Ministério da Saúde anuncia mudanças na divulgação diária sobre o coronavírus; | Foto: Reprodução

Neste sábado, foi divulgada uma nota do Ministério da Saúde (MS), que oficializa uma política de menor transparência na divulgação dos dados de mortes e contágio por coronavírus no Brasil. Bolsonaro, que a divulgou, deu o tom da sua política enganadora à frente do MS, replicando a nota que diz o seguinte:

“- O Ministério da Saúde adequou a divulgação dos dados sobre casos e mortes relacionados ao Covid-19.

– Ao lZngo do enfrentamento da doença, a coleta de informações evoluiu com oferta de insumos, capacitação de equipes e serviços laboratoriais. As medidas, assim, permitem obter dados mais precisos sobre a situação em cada região.

– A divulgação dos dados de 24 horas permite acompanhar a realidade do país neste momento e definir estratégias adequadas para o atendimento a população. A curva de casos mostram as situações como as cenários mais críticos, as reversões de quadros e a necessidade para preparação.

– Ao acumular dados, além de não indicar que a maior parcela já não está com a doença, não retratam o momento do país. Outras ações estão em curso para melhorar a notificação dos casos e confirmação diagnóstica.

– As rotinas e fluxos estão sendo adequados para garantir a melhor extração dos dados diários, o que implica em aguardar os relatórios estaduais e checagem de dados. Para evitar subnotificação e inconsistências, o Ministério da Saúde optou pela divulgação às 22h, o que permite passar por esse processo completo. A divulgação entre 17h e 19h, ainda havia risco subnotificação. Os fluxos estão sendo padronizados e adequados para a melhor precisão.”

Mesmo considerando os dados oficiais que não são confiáveis, o Brasil contabiliza 30.830 novas infecções, o que faz com que o total no país atinja 645.771, segundo o ministério, e com isso, já posiciona como o segundo país com maior número de casos confirmados no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, que possuem quase 1,9 milhão de infecções, e o terceiro na contagem de óbitos, abaixo somente dos EUA (108.068) e do Reino Unido (40.261).

Bolsonaro tenta dificultar o acesso às informações passando a divulgação diária dos números da Covid-19 no Brasil pelo Ministério da Saúde, das 19hs, como vinha sendo, para as 22hs. Além disso, as informações não indicam que as infecções e óbitos tenham necessariamente ocorrido nas últimas 24 horas, mas sim que os registros foram inseridos no sistema no período.

Não é à toa que isso acontece. A população já começa a se revoltar contra tudo o que vem acontecendo, já acumulando muita desgraça com toda a política neoliberal que prejudicou e continua a prejudicar o trabalhador. Desde o golpe de 16,  com a reforma trabalhista, a reforma previdenciária, a lei de terceirização, entre outras medidas, que, reunidas, retiraram da população muito do pouco que já tinham, o governo de Bolsonaro consolidou o que tinha de pior, aumentando em muito a pauperização e a miséria de milhões de brasileiros, cuja dificuldade, agora, diante da crise da saúde com a pandemia, chega ao limite com o genocídio da população, numa iniciativa deliberada de deixar o trabalhador à sua própria sorte, na luta contra a Covid19.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas