Falência do regime golpista: pesquisa sem Lula tem 42% para nenhum candidato

lula

O golpe de Estado de 2016 dado contra a presidenta Dilma Rousseff ainda não conseguiu ser consolidado da forma como a direita queria. A própria tomada do poder pela direita foi adiada – afinal, já havia uma preparação para que o PSDB assumisse a Presidência da República em 2016  – e uma série de medidas ainda não foram aplicadas por causa das contradições dentro do bloco golpista.

A greve dos caminhoneiros mostrou o quão frágil está o governo. A mobilização de apenas uma categoria colocou o governo golpista contra a parede e fez com que este cedesse. Nessas condições, a direita precisa conseguir impor uma grande derrota aos trabalhadores para que possa conseguir passar por cima de seus direitos livremente.

Era esperado que a prisão de Lula conseguisse desmobilizar os trabalhadores de uma maneira mais ou menos efetiva. No entanto, não foi esse o resultado propriamente que a direita obteve. Apesar de a prisão do ex-presidente ter contribuído para que a burguesia partisse para uma investida contra os trabalhadores, tentando submeter estes a um “acordo”, a mobilização que ocorreu antes da prisão de Lula fez com que o movimento de luta contra o golpe evoluísse.

Após a intensa luta que se travou em São Bernardo, os trabalhadores não têm o menor interesse em aceitar um “plano B”. Ficou escancarado que a prisão de Lula é uma prisão política – uma prisão da direita contra os trabalhadores e setores democráticos. Por isso, Lula não para de crescer nas pesquisas: já são 42% mesmo nos institutos de pesquisa ligados à burguesia. Além disso, nenhum candidato tem uma quantidade expressiva – afinal, a direita não tem candidato algum.

A alta popularidade de Lula mostra a falência do regime golpista. Por isso, é necessário formar comitês de luta contra o golpe que coloquem na ordem do dia a derrubada do Regime Político, a liberdade de Lula e Lula presidente!