Aos 96 anos
Ativista dos direitos humanos, Celina ganhou notoriedade ao denunciar o desaparecimento do filho pela ditadura argentina
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Foto: Télam
Ativista liderou protestos de mães de desaparecidos pela ditadura argentina | Foto: Télam

Morreu hoje, em Buenos Aires, a ativista dos direitos humanos Celina Zeigner Kofman, líder organizadora do grupo das  mães da praça de Maio. Celina era mãe de Jorge Oscar Kogman, estudante e trabalhador de 23 anos, sequestrado por militares e desaparecido em Tucumán, no noroeste do país, durante a ditadura militar de 1976 a 1983.

A ativista tinha 96 anos e seu estado de saúde era descrito pela imprensa argentina como “débil”.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas