Facebook censura campanha eleitoral brasileira, considerada prioridade pela empresa

folha-facebook

Da redação – Em meio à campanha eleitoral, o Facebook – uma das empresas mais ricas e poderosas do mundo – vem realizando um processo de limpeza virtual contra perfis considerados falsos pela própria rede social.

Em declaração à imprensa burguesa nessa terça-feira (02), a representação do Facebook no Brasil afirmou que já censurou um número não revelado de páginas e perfis que disseminariam informações consideradas falsas sobre candidatos.

A censura é feita através, principalmente, de um mecanismo de inteligência artificial que já bloqueou 1,3 bilhões de contas no mundo todo. No Brasil, isso é feito com a ajuda de supostas agências de checagem de fatos, controladas pelo monopólio da imprensa burguesa – que, no entanto, divulga diariamente notícias falsas sem qualquer constrangimento.

O Facebook revelou, ainda, que as eleições deste ano no Brasil são uma prioridade para seus donos. Segundo o Estadão, o fundador e CEO da empresa, Mark Zuckerberg, disse no começo do ano que estará muito comprometido com a “integridade” da votação no Brasil. A censura do Facebook à propaganda eleitoral no Brasil é feita diretamente da sede da empresa, na Califórnia.

Percebe-se, pelas próprias revelações do Facebook, que tal monopólio imperialista está interferindo diretamente no processo eleitoral brasileiro, utilizando a desculpa de “combate às fake news” para censurar a livre expressão popular. E isso, também como foi reconhecido pela própria empresa, tem como objetivo controlar o resultado eleitoral para que os candidatos do imperialismo saiam vencedores destas eleições, estritamente fraudadas como este jornal vem denunciando.