Extrema-direita ataca Galpão Cultural em Assis (SP): é preciso formar comitês de autodefesa

galpão (1)

As 21h30 desta quarta-feira (23), o Ponto de Cultura Galpão Cultural localizado na cidade de Assis, no interior de São Paulo, foi alvo de um atentado a bomba, assustando aqueles que saíam da aula de capoeira no local.

Segundo a denúncia feita pelo Facebook por Marcio Blanca, “pessoas em um carro, ainda sem identificação, jogaram uma bomba em direção ao espaço, que explodiu na calçada”. O denunciante tem em seu veículo colados adesivos de campanha da candidatura presidencial do PT.

Contra a sequência de ofensivas da extrema-direita é preciso organizar o contra-ataque da esquerda a partir da formação de Comitês de Autodefesa e também nos Comitês de Luta Contra o Golpe.

Muito além de ser uma questão eleitoral, o avanço da extrema-direita é uma estratégia da própria burguesia para intimidar, perseguir e, por fim, exterminar a classe operária e suas organizações. Para isso são desferidos golpes sucessivos que devem ser respondidos à altura pela esquerda.

Da mesma forma que as eleições não criam o fascismo, elas não podem destruí-lo. Por isso, a luta contra a extrema-direita deve dar-se nas ruas, fortalecendo a organização popular de resistência nos Comitês de Luta Contra o Golpe e nos Comitês de Autodefesa. É preciso sair as ruas com as palavras de ordem “Fora Bolsonaro e todos os golpistas” e “Liberdade para Lula e todos os presos políticos”.

Seguem algumas fotos das atividades que acontecem local atacado, na página do facebook, que ilustram como são “perigosos” esses que foram atacados pela extrema-direta: