Siga o DCO nas redes sociais

Exposição que narra a história da Revolução Pernambucana vai para Caruaru
Exposição que narra a história da Revolução Pernambucana vai para Caruaru

Depois de levar mais de 60 mil pessoas ao Museu da Cidade do Recife, dentro do Forte das Cinco Pontas, exposição criada para comemorar o bicentenário da Revolução Pernambucana de 1817 ficará por dois meses no Sesc Caruaru. A data para abertura da exposição, porém, ainda não está definida.

A exposição contará com a mostra de vídeos e cartazes, mas não com peças como armas e livros da revolução, que serão devolvidos para o acervo do IAHGP (Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano). Aproximadamente 400 pessoas visitaram a mostra em seu último dia na capital pernambucana, o que significou um recorde de público.

A ideia é levar a exposição também para outros estados.

A Revolução Pernambucana, também conhecida como Revolução dos Padres, foi um levante por emancipação que eclodiu em 6 de março de 1817, em Recife.

O movimento foi fortemente reprimido. Tropas portuguesas avançaram pela Bahia, enquanto uma força naval vinda do Rio de Janeiro bloqueou o porto do Recife. Em 19 de maio as tropas entraram na cidade. O governo provisório, isolado, se rendeu no outro dia.

Destacam-se entre os revolucionários: Domingos José Martins, líder da Revolução; Padre João Ribeiro, reconhecido como líder moral do movimento; Frei Caneca, que também liderou a Confederação do Equador, e; Bárbara de Alencar, considerada a primeira presa política do Brasil.