Petroleiros
O ministro Ives Gandra do Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinou que 90% dos trabalhadores da Petrobrás em greve devem trabalhar normalmente.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
TST
O TST age para cassar os direitos democráticos dos trabalhadores da Petrobrás. |

O ministro Ives Gandra Martins Filho, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), determinou na quinta-feira (06) que os sindicatos que estão dirigindo a greve dos petroleiros têm de pagar multa de R$ 500 mil por cada dia de paralisação e ainda determinou a o bloqueio das contas dos sindicatos. Além disso, o ministro autorizou a direção da Petrobrás a contratar trabalhadores temporários para substituir os grevistas enquanto 90% devem permanecer trabalhando normalmente.

Em sua decisão, Ives Gandra qualificou o movimento de “abusivo” e disse que há “conotação política”. Ainda de acordo com o juiz fascista, “há limites” para o direito de greve. Isto é, os interesses da extrema-direita encastelada no Judiciário são os limites para o direito democrático dos trabalhadores.

A greve nacional dos petroleiros, que mantém a ocupação de unidades da Petrobrás, teve início dia 1º de fevereiro e já dura oito dias. As greves têm como eixo central a luta contra a política de demissão massiva promovida pelo governo Jair Bolsonaro na Petrobrás, que, ao fim e ao cabo, pretende terminar com a privatização da estatal, a mais importante do Brasil. O ministro da Economia, o Chicago Boy Paulo Guedes, afirmou reiteradas vezes que a privatização da petroleira é uma das prioridades do governo.

As determinações arbitrárias e antidemocráticas do ministro Ives Gandra, um elemento da extrema-direita bolsonarista, demonstram que o país já vive em uma virtual ditadura, uma vez que o direito de greve e mobilização dos sindicatos dos trabalhadores da Petrobrás foram cassados e um enorme contingente de policiais militares foi chamado para reprimir e intimidar os trabalhadores. O TST, a polícia e as demais instituições públicas agem para banir os direitos fundamentais dos trabalhadores, que estão ameaçados pela perda do emprego.

O governo fascista de Jair Bolsonaro busca sucatear para privatizar a Petrobrás, de forma a entregar a mais importante empresa brasileira para a sanha do capital financeiro internacional.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas