Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
exército1
|

Desde a última terça-feira acentuou-se a intervenção do Exército na greve dos caminhoneiros com o desbloqueio de piquetes e, inclusive, com a expulsão dos caminhoneiros doa acostamentos das rodovias.

Para os golpistas a repressão da greve é condição fundamental a fim de evitar uma possível unidade com os petroleiros, que iniciaram nesta quarta-feira uma paralisação de 72 horas. Tudo o que a direita quer evitar é que uma intervenção decidida por parte do movimento operário se transforme em um polo de aglutinação de todo o movimento de greves e protestos em curso no país.

A greve dos caminhoneiros demonstrou de forma cabal a profunda debilidade do governo golpista. Essa condição leva para a cena política duas possibilidades. Do ponto de vista do próprio golpe, a necessidade de depor o governo Temer na tentativa de estacar a crise em que se encontra o golpe de Estado e, inclusive, se antecipar à tendência crescente às greves e mobilizações operárias, que podem levar a uma derrota definitiva do golpe. É nesse contexto, que um golpe militar dentro do golpe de Estado ganha cada vez mais força entre os patrocinadores do golpe. Nesse sentido, o posicionamento do Exército nas principais rodovias do país, vai muito mais além do que a simples repressão à greve dos caminhoneiros.

Uma segunda possibilidade que se coloca no atual quadro de desintegração do governo golpista de Temer é uma decidida política por parte das direções operárias, em particular a Cut, no sentido de chamar a greve geral no país com uma pauta que, entre outros pontos, defenda o Fora Temer, pela revogação de todas as medidas do golpe, pela liberdade de todos os presos políticos e pela anulação do impeachment. A base para a construção da greve geral está dada, conforme foi demonstrado pela própria greve dos caminhoneiros.

Será o resultado da luta contra os golpistas que definirá os acontecimentos para o próximo período. Se dúvidas que a derrubada de Temer por ação dos próprios golpistas terá um desdobramento. Já a sua derrubada por ação de uma intervenção de uma grande mobilização popular, por um greve geral, abrirá caminho para a derrota definitiva do golpe.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas