Internacional
A China ameaçou retaliar a venda de armas mais recente feita pelos Estados Unidos a Taiwan. Washington aprovou a venda de 135 mísseis de defesa lança-foguetes táticos e equipamento
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
random_elp_china46241 (1)
Exército chinês | Foto: Reprodução

Ao todo, os contratos entre Washington e Taipé, a capital da ilha, chegaram ao valor de US$ 1,8 bilhão (R$ 9 bilhões). A venda foi uma forma do governo americano de Donald Trump reforçar seu apoio a Taiwan com objetivo de impactar a influência chinesa na região. A movimentação, no entanto, aumenta ainda mais as tensões entre Pequim e Washington, já elevadas por discordâncias a respeito do Mar do Sul da China, Hong Kong, direitos humanos e comércio.

A China considera que Taiwan, província rebelde, pertence à sua soberania. Recentemente, a China enviou caças para sobrevoarem a delicada linha média do Estreito de Taiwan, que normalmente serve como um tampão extraoficial.

Reagindo à a venda de armas a Taiwan, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, disse durante uma entrevista coletiva com a imprensa que o comércio entre Washington e Taipé deveria parar.

“[As vendas] interferem seriamente nos assuntos internos da China, danificam seriamente a soberania e os interesses de segurança da China, enviam uma mensagem seriamente equivocada às forças de independência de Taiwan e danificam gravemente as relações China-EUA e a paz e a estabilidade no Estreito de Taiwan — disse Zhao, que acrescentou: — A China adotará uma reação legítima e necessária de acordo com a maneira como a situação transcorrer.

O porta-voz não deu detalhes, mas a China já impôs punições a empresas dos EUA por venderem armas a Taiwan, embora não esteja claro como foram essas sanções.

Por sua vez, os Estados Unidos disseram, ao anunciar a decisão da venda, que o contrato pelos 135 mísseis “serve aos interesses econômicos e de segurança nacional dos Estados Unidos, ajudando (Taiwan) a modernizar suas Forças Armadas e a conservar uma capacidade de defesa confiável.

O míssil vendido pelos EUA é do tipo ar-terra Standoff Land Attack Missile Expanded Response (Slam-ER) e tem alcance máximo de 270 km, superior à largura do Estreito de Taiwan que separa a ilha da China, informa O Globo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas