Síria sob ataque dos EUA
O Departamento do Tesouro dos EUA anunciou que seu famoso Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC) adicionou duas pessoas, nove entidades empresariais e o Banco Central
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
12ce2924c9904559297d1e56d5ab5dedd8f71f5a
Banco Central da Síria | Reprodução

Em comunicado divulgado nesta terça-feira, 22, o Departamento do Tesouro dos EUA anunciou que seu famoso Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC) adicionou duas pessoas, nove entidades empresariais e o Banco Central da Síria, à Lista de Nacionais Especialmente Designados e Pessoas Bloqueadas de Washington. Essa, portanto, é mais uma rodada de sanções contra a Síria, embora desta vez o Banco Central tenha entrado na lista.

A justificativa, desta vez, seguiu como parte das supostas tentativas dos EUA de “chegar a uma solução política para o conflito sírio” e punir o Presidente da Síria, Bashar al-Asad, por agir “contra seu próprio povo”. Os embargos afetam até mesmo Asma al-Asad, esposa do presidente sírio, bem como vários membros de sua família, já sancionados em junho, conforme relatado neste mesmo dia pelo secretário do referido Portfólio. Segundo o texto, a esposa de Assad é considerada parte integrante do esforços que buscam dificultar a resolução da guerra na Síria.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas