EUA prendem chinês acusado de ser espião de Pequim

Ji Chaoqun1

Da redação – Nesta quarta-feira (26), o chinês Ji Chaoqun, 27 anos, foi preso e condenado a dez anos de prisão pelo governo norte-americano em Washington, acusado de estar trabalhando como agente secreto do governo chinês. Ele teve o mesmo destino da suposta agente russa, María Bútina, também presa em Washington sob a mesma alegação. Bútina foi condenada a quinze anos de prisão inafiançável. Essas medidas norte-americanas, na verdade, são fruto da política de guerra contra o governo russo e o chinês.

Em meio à guerra comercial com a China e as tensões entre Russia e Israel, aliado norte-americano, a prisão de Chaoqun e Bútina representam mais uma atitude de ataque do governo dos EUA contra esses países. O governo russo tirou uma nota de repúdio contra a prisão de Bútina e acusa os EUA por maus tratos. Segundo o Kremilin, sua cidadã foi submetida a uma série de humilhações, incluso a obrigação de desnudar-se para realizar o registro penal.

A tensão entre os EUA e os governos da China e da Rússia tem crescido e se tornado cada vez mais acirrada. Essa situação decorre das consequências  da crise econômica internacional que tem levado os países centrais do capitalismo a tomarem atitudes desesperadas para manter a sua sobrevida. A guerra comercial EUA-China, as tensões entre Rússia e EUA, a ampliação da política interventora do imperialismo sobre os países da América Latina e Oriente Médio, o crescimento do fascismo na Europa, tudo isso decorre dessa tensão econômica mundial. Nessa situação, os povos dos países atrasados devem se unir e lutar contra a ação imperialista. No Brasil, isso significa lutar contra o golpe e pela Liberdade de Lula.