EUA planejam ataque químico forjado na Síria para bombardear o país, diz governo russo

b1b

Da redação – Nesta segunda-feira (27), o Ministério da Defesa da Rússia declarou que os EUA estão planejando um falso ataque químico na Síria, na província de Idlib. Segundo um comunicado do Ministério, a Rússia teria identificado o deslocamento de um navio militar Destroyer com mísseis Tomahawk para o Mar Mediterrâneo. Um deslocamento similar também aconteceu no Golfo Pérsico, além do reposicionamento de um bombardeiro B-1B Lancer deslocado para uma base no Catar.

Segundo o Ministério da Defesa russo, esses deslocamentos indicam a intenção dos norte-americanos de “responder” a um ataque químico forjado. Em 22 de agosto, o Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, afirmou que “se o regime sírio utilizar armas químicas, nós responderemos fortemente, eles deveriam pensar nisso por um longo tempo”.

Segundo o governo russo, terroristas ligados ao Hay’at Tahrir al-Sham (antiga Al-Nusra) já teriam chegado em Jisr al-Shughur, em Idlib, com armas químicas fornecidas pelos britânicos. O plano seria fazer um ataque químico para culpar o governo de Bachar Al-Assad. Além disso, os terroristas prestariam “socorro” a vítimas se passando por membros dos chamados “Capacetes Brancos”.

Esse tipo de manobra do imperialismo é típico, colocando os países imperialistas sempre como se estivessem se defendendo ou defendendo civis indefesos contra ditaduras. De modo que as invasões e destruição de países inteiros nunca apareça como uma agressão do imperialismo mas simplesmente como uma reação legítimas, justificada e até mesmo humanitária.