Perseguição contra o povo
Trabalhador é perseguido e perde emprego por supostamente fazer sinal racista. Campanha é promovida pelo imperialismo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
_113502825_emmanuelesuanetaalma
Trabalhador é mais uma vitima da política de censura. | Foto de arquivo pessoal.

A política de luta contra o racismo promovida pelo imperialismo ganhou novo tom de censura e ditadura após a radicalização política em todo mundo. Ao contrário do que entende a esquerda pequeno-burguesa, a luta contra o uso de termos ou gestos supostamente de conotação racial, serve apenas como uma maneira do imperialismo desviar a luta social, contra o capitalismo, para uma luta imaginária, uma sombra do real problema.

No último dia 3 de junho, o norte-americano Emmanuel Cafferty, de 47 anos perdeu seu emprego graças a essa absurda campanha. Voltando para casa, Cafferty foi visto estralando os dedos na janela de seu carro, e ao ser visto por uma outra pessoa, esta o denunciou no Twitter por fazer o gesto de “ok”, considerado racista pelo imperialismo.

O gesto está sendo banido das principais competições organizadas pelo imperialismo, como os jogos eletrônicos e demais partidas online. A suposta preocupação do imperialismo pelas causas negras é cínica. O mesmo é responsável pelo completo esmagamento e genocídio que fizeram com que o caso Floyd explodisse em todo Estados Unidos.

O trabalhador comenta que duas horas depois de ser denunciado nas redes sociais, seu supervisor avisou que estava suspenso do trabalho. Uma hora depois teve o computador e caminhonete da empresa levada embora, e após 5 dias, fora demitido.

Sendo filho de migrantes mexicanos, este havia sido seu primeiro emprego com direito a aposentadoria na vida. Agora, graças a política de perseguição promovida pelo imperialismo, Carfetty está desempregado.

O caso é propicio para novamente levantar a discussão em torno da campanha identitária de proibições de falas e censuras. A luta contra o racismo, de maneira isolada, é apenas uma luta inócua que dá ferramentas de perseguição à burguesia.

Nenhum negro será beneficiado com esta campanha, mas sim abrirá  margem para um total esmagamento da população pobre, que como neste caso, mal teve tempo para defender-se das acusações.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas