Imperialismo ianque
Informação de jornal sul-africano mostra mais uma vez que o imperialismo exerce uma dominação violenta, treinando tropas para a violência contra a população.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
africa-eua
| Foto: EFE

Uma pesquisa do jornal sul-africano Mail & Guardian indica que 14% das tropas norte-americanas estão localizadas no continente africano. É o segundo maior contingente, atrás apenas do Oriente Médio. Tal fato é relativamente secreto na medida em que tanto a população dos EUA, quanto à população africana é pouco informada à respeito.

De acordo com o Mail & Guardian, em 2019 algumas das tropas mais mortíferas do Pentágono estavam presentes em países como Argélia, Botswana, Burkina Faso, Camarões, Cabo Verde, Chade, Costa do Marfim, Djibouti, Egito, Etiópia, Gana, Quênia, Líbia , Madagascar, Mali, Mauritânia, Níger, Nigéria, Senegal, Somália, Tanzânia e Tunísia.

A publicação destaca, ainda, que algumas dessas missões tem o objetivo de treinar forças locais, enquanto outras envolvem o combate direto.

É notória a intervenção imperialista pelo mundo todo e, diversos conflitos entre a populações de etnias ou religiões diferentes, por exemplo, tanto internamente ou entre países, são impulsionados e incentivados pelos países imperialistas em todas as regiões do planeta.

A publicação é útil ao destacar o papel das forças de assassinato que o imperialismo norte-americano possui em países pouco desenvolvidos da África. Tais países estão presos à violência do imperialismo que impede qualquer tentativa de desenvolvimento e estabilização das nações africanas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas