Oriente Médio
Após o assassinato do cientista nuclear iraniano Mohsen Fakhrizadeh, os Estados Unidos enviaram o porta-aviões USS Nimitz e destróieres com mísseis para o Golfo Pérsico.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
USS-Dwight-D.-Eisenhower
USS Nimitz. | US Navy.

Os Estados Unidos da América enviaram o porta-aviões USS Nimitz à região do Golfo Pérsico. A embarcação está acompanhada por vários destróieres de mísseis guiados. Os dados são de um jornalista da televisão CNN, que colheu informações com fonte militar ligada ao Pentágono.

O motivo alegado é prestar apoio de combate e cobertura área para as operações de retirada das tropas americanas do Iraque e Afeganistão. O presidente Donald Trump confirmou que está previsto a retirada das tropas até dia 15 de janeiro de 2021, cinco dias antes do democrata Joe Biden assumir a presidência da República.

Os Estados Unidos excluem a ligação do envio dos navios de guerra para o Golfo Pérsico com o assassinato do cientista nuclear iraniano Mohsen Fakhrizadeh, ocorrido nesta última semana. É possível que haja uma relação entre os dois fatos, uma vez que o governo nacionalista iraniano é considerado um dos principais opositores dos EUA na região. Neste sábado (28), o presidente do Irã, Hassan Rouhan, acusou Israel de estar por trás do assassinato do cientista. Este país é um dos principais aliados dos americanos no Oriente Médio.

Após o assassinato de Fakhrizadeh, os iranianos prometeram uma resposta “severa”. Em seguida, chegam os navios de guerra americanos, com uma clara atitude dissuasória, caso o governo do país persa tente levar adiante alguma retaliação. É importante destacar que estes navios possuem grande poder de fogo e capacidade de intervenção.

Por sua vez, o Joe Biden confirma a intenção de retirar as tropas de ocupação americanas, contudo quer manter um posto de controle nos dois países. Isto é, os EUA vão manter militares, mesmo que em pequeno número, no Iraque e no Afeganistão.

A presença do imperialismo no Oriente Médio é um fator explosivo. Os países da região, todos eles de desenvolvimento capitalista atrasado, são constantemente alvos de atentados pelo Exército dos Estados Unidos. No começo deste ano, o general da Guarda Revolucionária Islâmica, Qassem Soleimani, foi assassinado pelas forças americanas. Recentemente, Mohsen Fakhrizadeh, uma autoridade em matéria energia nuclear, também foi assassinado.

Os norte-americanos mantém bases terrestres e navais em diversos locais no Oriente Médio e no Golfo Pérsico. Inclusive, o Irã está cercado de tropas americanas, sendo que Afeganistão e Iraque são seus vizinhos.

Desde há muito tempo, os Estados Unidos têm como um dos principais objetivos de sua política externa impedir que os persas desenvolvam armas nucleares. Estas armas servem como um importante fator dissuasório para os países atrasados, incapazes de ter Forças Armadas do mesmo nível dos países imperialistas.

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas