Por 232 votos contra 196
Presidente de extrema-direita é acusado de pedir a líder ucraniano para investigar o agora candidato opositor Joe Biden
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
29496584174_2271d2ee6a_k
Donald Trump busca reeleição ano que vem. Foto: Gage Skidmore/Flickr (CC BY-SA 2.0) |

Da redação – A Câmara dos Deputados dos Estados Unidos aprovou as regras para a abertura formal do inquérito de impeachment do presidente Donald Trump. Foram 232 votos a favor e 196 contra. Assim, abre-se a próxima fase do inquérito, que inclui audiência públicas e dá a possibilidade de Trump comparecer ao Congresso para apresentar sua defesa.

O fascista republicano é acusado de ter violado a lei de segurança nacional dos EUA ao, de acordo com as denúncias, ter pedido ao presidente da Ucrânia, Vladimir Zelensky, para que esse investigasse o democrata Joe Biden e seu filho, Hunter Biden, que tinham negócios há até pouco tempo no país europeu. Conforme as acusações, as pretensões de Trump seriam eleitorais, uma vez que Joe Biden é o principal concorrente do republicano nas eleições presidenciais do ano que vem. Assim, Trump poderia encontrar algum “podre” nos negócios de Biden e utilizar isso como propagando contra seu adversários nos comícios.

Agora, a Câmara irá votar pela aprovação ou não do impeachment, cuja abertura foi anunciada em 24 de setembro pela presidenta da Casa, a democrata Nancy Pelosi. Se aprovado, o pedido irá para o Senado fazer o julgamento. Com dois terços dos votos a favor do impeachment, finalmente Trump seria derrubado do cargo. No entanto, a maioria no Senado é republicana e, embora anteriormente houvesse um movimento dentre de seu próprio partido pela sua deposição, atualmente a situação parece ter se amenizado um pouco e os republicanos, com uma maioria na Casa, provavelmente irão vetar qualquer possibilidade de impeachment.

De acordo com a lei norte-americana, um presidente não pode pedir a um país estrangeiro a interferência em suas eleições. Curiosamente, os Estados Unidos são o país que mais interfere nas eleições das nações do mundo todo, financiando candidaturas de políticos fantoches, promovendo campanhas contra seus opositores, e, mesmo fora das eleições, controlando partidos inteiros e implementando uma política de golpes de Estado (inclusive militares) para que seus capitalistas possam melhor dominar as economias desses países.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Relacionadas