EUA aprovam a servidão do capacho Bolsonaro ao expulsar médicos cubanos do Brasil

captura-de-tela-2018-10-08-axxs-17.03.19

Da redação – A demonstração de capachismo do fascista Jair Bolsonaro ao imperialismo norte-americano, ao expulsar a missão médica cubana do Brasil, foi aprovada por seus patrões em Washington.

Em uma mensagem postada no Twitter, a principal funcionária para a América Latina do Departamento de Estado dos EUA, Kimberly Breier, elogiou a servidão de seu mais novo fantoche no continente.

“Que bom ver o presidente eleito Bolsonaro insistir em que os médicos cubanos no Brasil recebam seu justo salário ao invés de deixar que Cuba leve a maior parte para os cofres do regime”, escreveu.

A campanha feita ao redor dos médicos cubanos vindos ao Brasil através do programa Mais Médicos, estabelecido a partir da cooperação entre Brasil e Cuba durante o governo de Dilma Rousseff, previa o envio dos médicos cubanos para áreas onde os médicos brasileiros (em sua maioria coxinhas de classe média-alta) jamais quiseram ir, para tratar de maneira gratuita o povo pobre.

Ao contrário do que diz a propaganda imperialista reproduzida pela imprensa entreguista brasileira, os médicos cubanos são funcionários do Estado cubano, que é parceiro do Brasil no programa. Portanto, como ocorre nesse tipo de parceria por todo o mundo, o país hospedeiro paga o país fornecedor, que, por sua vez, repassa parte da verba para os funcionários em missão naquele país. Algo absolutamente normal e lógico.

“Eu não me sinto escrava em momento nenhum do meu país. Eu aceitei, assinei um contrato em que eu sabia, quando chegasse ao Brasil, o salário que eu iria receber e eu queria mandar para Cuba e para que o dinheiro mandado para Cuba seria utilizado”, disse a médica cubana Dainerys Sandoval, em entrevista ao Diário Causa Operária Online. “Cuba precisa do dinheiro? Precisa. Nós damos o dinheiro conscientemente.”

Trata-se, como já foi evidenciado, de uma imposição ao governo de Cuba de condições impossíveis de ele aceitar, a permanência de médicos que recebam todo o salário, sendo que, como explicou Dainerys a este diário, o dinheiro enviado a Cuba serve para custear o próprio sistema de saúde gratuito que forma médicos, cuida de toda a população, e permite o envio de missões humanitárias para todo o mundo.

Essa medida de Bolsonaro é prova de seu capachismo ao imperialismo, que promoveu o golpe de Estado no Brasil e fraudou as eleições para colocar no poder seu servo. A política do governo Bolsonaro contra Cuba atende aos interesses dos EUA, que há mais de 50 anos tentam derrubar o regime revolucionário da ilha por todos os meios possíveis, como é o caso do bloqueio econômico que vigora até hoje.