Pandemia no Amazonas
Fiocruz divulga estudo que identificou 18 variantes do coronavírus no Estado, bem como indica o avanço e a predominância da nova variante.
coronavirus - fiocruz
Pesquisa da Fiocruz identifica variantes e frequência em amostras de pacientes. | Foto por: divulgação/fiocruz
coronavirus - fiocruz
Pesquisa da Fiocruz identifica variantes e frequência em amostras de pacientes. | Foto por: divulgação/fiocruz

Em estudo divulgado pelo Instituto Fiocruz, em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde do Amazonas, a análise de 250 genomas de coronavírus colhidos em pacientes atendidos na rede hospitalar, confirmou que 18 variantes do Sars-Cov-2 circulam pelo Estado.

O estudo compila o resultado de amostras colhidas desde o início da pandemia (março de 2020) até o dia 13 de janeiro último confirmou que nas últimas semanas a variante, nominada de P.1, que vem causando preocupação por ser mais contagiosa, foi encontrada em 91,4% das amostras colhidas em janeiro. Se comparado com as amostras de dezembro, nenhuma era da variante P.1.

Os pesquisadores da Fiocruz afirmam que os números confirmam a preocupação com a variante P.1, que teria se desenvolvido no Brasil, de ser potencialmente mais contagiosa, indicando uma melhor adaptação do vírus.

Também foram identificadas as novas variantes encontradas no Reino Unido (B.1.1.7) e a localizada na África do Sul (501Y.V2), além outras que também causa preocupação por suas mutações. O estudo foi divulgado pela Fiocruz em nota técnica (acesse aqui).

Abaixo, uma tabela divulgada na nota técnica da Fiocruz informa as variantes identificadas e a frequência de cada uma delas:

Relacionadas
Send this to a friend