Ataques aos indígenas no MS
O governo do Mato Grosso do Sul suspendeu as inscrições para o programa “Vale Universidade Indígenas”, que conferia auxílio financeiro mensal aos estudantes indígenas da Uems.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
indios-kaiowas_ms
Arquivo. |

O governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), determinou a suspensão das inscrições para o programa “Vale Universidade Indígena”, que conferia auxílio financeiro aos estudantes indígenas da Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (Uems).

O programa prestava auxílio de R$ 745,00 mensais para estudantes indígenas, que, como contrapartida, realizavam estágio em órgãos estaduais. Para fazer parte do programa, o estudante comprovava sua origem indígena por meio do Rani (Registro Administrativo de Nascimento de Índio), não podia ter reprovação em qualquer disciplina e tinha de estar no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal.

O governo tucano justifica a suspensão do programa em virtude da epidemia do coronavírus e do fechamento das escolas e universidades. Contudo, os estudantes pobres continuam dependendo do auxílio para, em primeiro lugar, sobreviver, e ter condições de dar continuidade aos estudos.

O que o governo de Azambuja faz é utilizar-se da situação do país como pretexto para aprofundar os ataques aos estudantes indígenas. É parte de uma política de genocídio, de matar de fome a população, de desampará-la completamente e repassar o dinheiro público para os grandes capitalistas e bancosm conforme a política defendida pelo governo Jair Bolsonaro e seu ministro da Economia, o Chicago Boy Paulo Guedes.

Ao contrário do que prega o governador tucano, a epidemia de coronavírus exige que o programa “Vale Universidade Indígena” seja mantido e ampliado para manter a assistência financeira aos estudantes indígenas e não permitir a vulnerabilidade social.

A Secretaria de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho também suspendeu o chamamento público para projetos que financiariam pesquisas nas áreas de direitos humanos, assistência social e trabalho.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas