Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Estudantes da Unifesp (Universidade Federal do Estado de São Paulo) com campus de Santos se manifestaram essa semana contra quase 600 bolsas cortadas na Universidade. A manifestação incluiu convocação para uma reunião geral, paralisação de dois dias das aulas, agendada assembleia geral para segunda-feira, dia 26, com indicativo de greve, manifestação quarta-feira, dia 28, na reunião do Conselho Universitário (Consu), com possibilidade de ocupação do mesmo e da Reitoria.

Na noite do dia 22 de março, quinta-feira, os estudantes fizeram uma reunião geral no saguão principal do campus Silva Jardim, em Santos, da Universidade Federal de São Paulo. Os alunos foram convocados através de uma manifestação dentro do campus, passando de sala em sala, paralisando as aulas. As paralisações se repetiram no dia seguinte, dia 23, com mais discussões e mobilização.

Os alunos tomaram essa atitude após serem surpreendidos com corte de bolsas. Os bolsistas sofreram um golpe porque a informação era que não haveria alteração nos auxílios para permanência universitária até agosto.

Foram cortadas 540 bolsas na Unifesp, sendo mais de 170 só na Baixada Santista. Os relatos dos alunos são de “gente chorando”, “gente voltando para casa”, “desesperada”.

No saguão principal do campus Silva Jardim, passaram informes de que na próxima quarta-feira, dia 28, levarão ônibus de sindicatos para que o maior número de universitários possam participar do Conselho Universitário (Consu). Como forma de pressão para poder negociar os estudantes já cogitam ocupação do Consu e até mesmo da Reitoria.

Além disso, os alunos encaminharam assembleia para a segunda-feira, dia 26, com indicativo de greve.

Todo apoio aos estudantes que se organizaram rapidamente para protestar contra mais esse efeito do golpe de estado em que o país está vivendo.

No último ano temos acompanhado o resultado da “PEC do fim do mundo”, de congelamento de gastos por 20 anos. Concomitante à venda de nossas poucas empresas estatais. Claramente uma política de privatização do ensino público. Depois da enorme crise provocada pelo golpe na UERJ, acompanhamos também na última semana o fechamento da Universidade Estadual de Londrina. As aulas simplesmente foram suspensas por falta de professores.

Há um pouco mais de dias, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul teve a reitoria ocupada pelos estudantes devido alteração na política de cotas raciais na UFRGS. Que essas atuais manifestações estudantis sejam o estopim de um grande movimento estudantil em todo o país contra o golpe.

Seguem comunicados e relatos divulgados nas redes sociais pelos estudantes:

“INFORMES REUNIÃO GERAL URGENTE

22/03/2018 Hoje, das 18h as 22h, foi feita uma REUNIÃO GERAL ESTUDANTIL no saguão principal do Campus Silva Jardim. Após a PRAE (Pró Reitoria de Assuntos Estudantis) ter descumprindo as deliberações do CAE (Conselho de Assuntos Estudantis) e ter CORTADO os perfis IV e V do PAPE (Programa de Apoio e Permanência Estudantil), diversos estudantes perderam seus auxílios e já pensam em trancamento do curso. Com esse cenário e após ampla discussão três principais pontos foram decididos coletivamente:
1) Paralização das atividades que estavam ocorrendo naquele momento com o objetivo de chamar toda a comunidade acadêmica para participar da reunião.

2) Entrar em ESTADO DE GREVE. O Estado de Greve ainda não configura uma greve oficial. A greve só pode ser decida em Assembleia Extraordinária que ocorrerá dia 26/03/2018 (segunda-feira) no campus Silva Jardim ás 17h. Essa decisão foi pautada a partir do entendimento da urgência que se configura o CORTE nos AUXÍLIOS que podem se estender ao R.U. e outros eixos da universidade.

3) Amanhã dia 23/03/2018 iniciaremos as paralisações com organização de impedimento das aulas nos campus, bem como das atividades a serem desenvolvidas a partir de agora. Horários programados: • 7h – Concentração no saguão principal da Silva Jardim. Organização do PIQUETE DE GREVE + ATIVIDADES NO CAMPUS. • 13h30 – Saída para conversa e mobilização estudantil no campus Carvalho de Mendonça. NÃO AOS CORTES DE AUXÍLIOS! AUXÍLIO + R.U. FICAM! LUTA PELO DIREITO ESTUDANTIL!”

“UNIFESP BAIXADA SANTISTA EM ESTADO DE GREVE!!!

Recebi um “ótimo” presente de aniversário da Unifesp. Minha bolsa auxílio foi cortada, bem como a de outros mais de 500 alunos. O que estamos vivendo é o desmonte da educação pública. A partir do momento que não nos dão condição de permanecer na universidade, estão nos expulsando dela. O recado é claro: quem tem dinheiro estuda, quem não tem VAZA! Não vamos aceitar isso. Não é apenas a Unifesp, esse é o projeto de precarização e privatização do ensino que este governo neoliberal quer impor. Mas nós estudantes vamos lutar e resistir! NENHUM AUXÍLIO A MENOS!!! BOLSAS E R.U. FICAM!!!”

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas