Estudantes da UFMT deflagram greve estudantil

greveuft

Estudantes da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) deflagraram em assembléia geral na noite do último dia 8 (terça-feira) greve estudantil, com ocupação de todos os blocos do campus Cuiabá. A votação foi praticamente uma unanimidade. A principal reivindicação dos estudantes é a permanência do Restaurante Universitário (RU) a R$ 1.

É preciso dar todo apoio a luta do movimento estudantil na UFMT, que bravamente decidiu entrar em greve em defesa da universidade pública.

Como já se sabe, a UFMT corre o risco de fechar as portas ainda esse ano, como consequência da política dos golpistas. O aumento do preço do RU – que consiste no fim da principal política de assistência estudantil da universidade – é um passo decisivo na privatização da própria universidade.

Os ataques a UFMT não são algo isolado: fazem parte do programa de terra arrasada dos golpistas para o Brasil. Tal programa inclui a privatização de todo o ensino público.

Portanto, se esses ataques fazem parte do programa do golpe de Estado, que consiste em uma verdadeira ditadura de direita, só há uma forma de derrotar esses ataques e defender não apenas o RU  a R$1, mas o direito ao ensino público, gratuito e de qualidade: derrotando o próprio golpe de Estado. Para isso, é preciso construir comitê de luta contra o golpe da UFMT, para lutar contra o golpe, o que significa lutar contra todo o programa dos golpistas de conjunto, pela libertação do principal preso político da atualidade no Brasil – o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – bem como de todos os presos políticos e pela revogação de todas as medidas adotadas pelos golpistas até agora.

Em defesa do ensino público, derrotar o golpe!