Estudante da UnB é assassinado a pedradas

310815MM_unb021

A morte do estudante de filosofia da Universidade de Brasília (UnB) despertou comoção e revolta entre os alunos. Jiwago Henrique Miranda, 33 anos, foi encontrado morto no sábado (23), em um matagal próximo às residências oficiais da Universidade. A suspeita é de que ele tenha sido assassinado a pedradas devido às marcas encontradas em sua cabeça.

Jiwago estudava na UnB há nove anos. Nesse período formou-se em antropologia, foi internado por transtornos mentais e morou durante um período na rua. Nos últimos anos vivia nas intermediações da Universidade.

Foi um dos ocupantes da reitoria em abril desse ano. Permaneceu na ocupação com os demais estudantes durante todo o período. Seu assassinato é um recado claro dos fascistas da UnB, que já se declararam contra todos os ocupantes e todos os militantes da esquerda.

A extrema-direita há muito vem crescendo na UnB. Em 2016, um grupo invadiu a universidade com bombas contra a organização de uma greve estudantil e de funcionários. Tentaram arrombar o Centro Acadêmico de Sociologia e agrediram estudantes.

Desde o golpe de Estado os fascistas passaram a ter uma atuação bem mais ostensiva e de intimidação contra a esquerda na Universidade. A morte de Jiwago Miranda mostra uma escalada de violência desses grupos.

Nesse cenário é necessário que as lideranças de esquerda da Universidade se organizem e discutam formas de combater o fascismo para evitar as próximas ações desses grupos.