Esterilização forçada e filha sequestrada: “eu queria ver o rostinho dela”, pediu Janaína

janaia

O caso de Janaína Aparecida Aquino, mulher que foi submetida ao procedimento de esterilização à força, sendo conduzida coercitivamente, gerou grande repercussão em toda imprensa nacional. Neste último domingo (24), Janaína afirmou em entrevista que não queria fazer a esterilização.

A denúncia da vítima é de que assinou os papéis que autorizariam o procedimento sem saber o que estava escrito. “Não tive estudo, não sei ler direito..Eles perguntavam, eu falava que não”, disse Janaína. Queixou-se ainda de que tiraram sua filha logo após o parto em que foi realizada a cirurgia e que não viu a filha e nem chegou a pegá-la no colo. “Eu queria ver o rostinho dela”, afirmou de forma desoladora.

A criança recém nascida já está em processo de adoção, o que demonstra claramente como funcionam os interesses da burguesia que controla o sistema capitalista. Ao passo que a mesma finge se importar, mandando fazer entrevistas nos principais jornais, está destruindo a vida das pessoas através da pressão econômica, não se importando sobre a verdadeira história de como a pessoa chegou na atual situação, que o próprio sistema criou.

Essa ilegalidade foi determinada por um juiz que demonstra bem como funciona essa burguesia fascista, que lança uma ação civil e obriga o hospital a realizar a prática. Vale dizer também que, posteriormente, o Tribunal de Justiça acatou o recurso da prefeitura de Mococa contra o pedido do Ministério Público, porém, após a cirurgia ter ocorrido.