Amazônia
Nove ex-ministros do meio-ambiente assinam documento que defende intervenção da França, Alemanha e Noruega nas florestas da Amazônia
(FILES) This file photo taken on March 14, 2017 shows French presidential candidate for the En Marche ! movement Emmanuel Macron (L) giving the thumbs up as he arrives at Lille University in northern France.
Emmanuel Macron was elected French president on May 7, 2017 in a resounding victory over far-right rival Marine Le Pen after a deeply divisive campaign, initial estimates showed.
 / AFP PHOTO / DENIS CHARLET
Emanoel Macron, presidente da França, faz campanha pelo controle da Amazônia | reprodução
(FILES) This file photo taken on March 14, 2017 shows French presidential candidate for the En Marche ! movement Emmanuel Macron (L) giving the thumbs up as he arrives at Lille University in northern France.
Emmanuel Macron was elected French president on May 7, 2017 in a resounding victory over far-right rival Marine Le Pen after a deeply divisive campaign, initial estimates showed.
 / AFP PHOTO / DENIS CHARLET
Emanoel Macron, presidente da França, faz campanha pelo controle da Amazônia | reprodução

Uma carta assinada por ex-ministros do meio-ambiente virou usada para propaganda da imprensa burguesa pelo controle da Amazônia por países imperialistas da Europa. A política de Bolsonaro, que promove uma maior destruição das florestas, é apresentada como um mal que precisa ser combatido a qualquer custo.

Assim ex-ministros que atuaram nos governos Fernando Collor de Melo, Itamar Franco, Fernando Henrique Cardoso, Lula, Dilma Rousseff e Michel Temer são usados para dar credibilidade à necessidade da intervenção no país.

O pedido de intervenção dos ex-ministros foi destinado governos da França, Alemanha e Noruega. É importante ter claro que estes países não estão preocupados com os problemas ambientais que se intensificam no Brasil, mas no controle aos inúmeros recursos naturais que passariam a ter.

Esses mesmos países apresentados como “civilizados” são, na verdade, os responsáveis pelos ataques ao meio ambiente e exploração de diversos países do mundo incluso Brasil. Uma mineradora estatal norueguesa foi responsável pela contaminação das águas que condenou comunidades ribeirinhas da própria Amazônia. Isso sem contar a grande quantidade de madeira ilegal que é enviada para os países europeus.

A desculpa para entregar um patrimônio gigantesco do povo brasileiro é avalizada por supostos defensores do meio-ambiente, sendo que a maioria participou dos piores governos que país já teve. Não se pode cair nesse conto do vigário.

É preciso defender que todas as terras, flora e fauna, águas e céu, assim como os recursos e empresas nacionais estejam sob controle da população do país. É preciso defender o Brasil da ingerência imperialista e combater o governo Bolsonaro com as organizações populares nas ruas.

Relacionadas
Send this to a friend