“Está na hora de sentar e rever o Mercosul”, afirma ministra do Latifúndio e serviçal dos EUA

bolsonaro-tereza-cristina

Da redação – A futura ministra da Agricultura – no caso, ministra do latifúndio – do golpista Jair Bolsonaro (PSL), Tereza Cristina (DEM), deu entrevista ao golpista O Globo e disse que está na hora de “rever o Mercosul”. Essa posição serviçal do imperialismo se alinha ao que o neoliberal Paulo Guedes, Ministro da Economia  afirmou há poucas semanas: “não são prioridade” e que o objetivo principal, seria comercializar com todo o mundo.

“O mundo hoje é rápido e dinâmico[…]. Está na hora de sentar e rever o Mercosul. Sem deixar o protagonismo do Brasil e sem deixar de ter esse relacionamento com os nossos vizinhos, mas fazendo um acordo, talvez, mais moderno e melhor”, declarou a “musa do veneno”.

Criado em 1991, tendo como sócios originais Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, o Mercosul é um bloco econômico organizado para garantir a ampla circulação de bens e serviços, com facilidades tarifárias no comércio entre os países-membros. Porém, a política neoliberal do novo governo – continuação do golpe de estado de 2016 – traz os interesses do imperialismo norte-americano, sendo Guedes membro do Instituto Liberal, irão entregar as riquezas nacionais aos grandes capitalistas estrangeiros, e assim, é preciso se alinhar através da imprensa burguesa desde já.

O abandono do acordo caso uma nova negociação “não contemple” os interesses que os “donos do golpe” considerem pertinentes, demonstra que o golpismo está levando a política de guerra econômica com maior força, através de chantagens, contra todos os países explorados e obrigando que as tarifas regionais sejam organizadas segundo seus interesses escravocratas. A serviçal disse ainda que “é desvantajoso para nós” (o Brasil), porém a equipe de Bolsonaro está entregando todas as empresas nacionais aos grandes capitalistas, pois são uns entreguistas inimigos do povo.

Para diminuir os impactos dessas declarações, Tereza disse que a China está entre os parceiros comerciais prioritários, o que pouco esclarece sobre a situação com os próprios chineses que já mantém parcerias comerciais com o país. O que está claro é que, com a criação da Secretaria da Privatização, o governo Bolsonaro será o mais entreguista e capacho dos EUA na história. São verdadeiros inimigos da população trabalhadora.