Menu da Rede

Adquira o Jornal Causa Operária 1.172!

Vermelho é a cor da esquerda

Esquerda que usa verde e amarelo abre as portas para o fascismo

Quem precisa se esconder atrás do verde e amarelo é a burguesia

A próxima manifestação deve ser ainda mais vermelha – Arquivo

Quando os coxinhas saíram nas ruas, impulsionados pela rede Globo e todo o monopólio da impressa golpista, financiados por um poderoso aparato empresarial, vestindo a camisa da Seleção Brasileira (da qual eles não gostam) e empunhando a bandeira do Brasil e dizendo que sua “bandeira jamais será vermelha”, “meu partido é meu País” e coisas do tipo, o verde e amarelo ficou identificado com a direita.

Com o desenvolvimento da situação política, os bolsonaristas, que são os herdeiros legítimos daquelas manifestações coxinhas, adotaram o verde e amarelo. A direita tradicional, que foi a principal articuladora do golpe, sem base social, acabou perdendo espaço para os fascistas nas ruas.

Logicamente que a utilização das cores nacionais não é uma especificidade da direita brasileira. Menos ainda, não é um golpe recente. Os fascistas e a burguesia em geral sempre se esconderam atrás das cores nacionais para dissimular sua política anti-povo. Na realidade, os que usam a bandeira nacional são os maiores inimigos da Nação.

A esquerda, por sua vez, nunca teve medo de mostrar abertamente sua política justamente porque o programa dos partidos e organizações da esquerda é a defesa dos interesses da maioria da população. Por isso, a esquerda nunca escondeu suas bandeiras, suas cores e suas palavras de ordem.

O vermelho é a cor da esquerda. É a cor daqueles que defendem verdadeiramente o povo, os interesses dos trabalhadores e de todos os explorados. A esquerda não precisa, como faz a direita, dissimular suas posições políticas.

Por isso, é absurda a posição de alguns setores da esquerda pequeno-burguesa que estão cedendo às imposições da direita e forçando o uso do verde e amarelo nas mobilizações que estão tomando conta das ruas do País contra Bolsonaro e contra os golpistas.

Verde e amarelo é anti-democrático

Abrindo as redes sociais nessa terça-feira (22), muitos companheiros se surpreenderam com uma decisão bastante inesperada. Uma tal de “frente fora Bolsonaro” marcara um suposto ato para o dia 24 de julho. À parte a absurda tentativa de impor um ato para mais de um mês depois do dia 19 de junho, chamou a atenção o uso do verde como cor oficial do chamado da tal frente.

Essa convocação verde não por coincidência vem no mesmo dia em que a colunista do Estado de S. Paulo e da Globonews, Eliane Cantanhêde, publicou coluna com o título: “Bandeira nacional não é exclusiva dos atos golpistas, nem a do PT é a única nos atos de oposição”. Outro direitista, Ricardo Rangel, publicou matéria na revista Veja com um pedido bastante “cara de pau” aos manifestantes: “Deixe a bandeira vermelha em casa”.

A direita quer que a esquerda abandone suas bandeiras para poder controlar o movimento que não foi convocado por ela, que não é apoiado por ela e que é contra ela. Os manifestantes que estão nas ruas são de esquerda, são as bases das organizações populares e os partidos da esquerda.

As manifestações são contra Bolsonaro e contra toda a política que os golpistas levam adiante. A mobilização pede a saída de Bolsonaro, que esses direitistas da imprensa golpista que agora querem o verde e amarelo ajudaram a eleger e sustentam no poder. A mobilização defende bandeiras populares, o auxílio emergencial de verdade, a vacinação em massa, o fim das privatizações. Nada disso é apoiado pelos que querem o verde e amarelo, pelo contrário, a imprensa golpista – Veja, Estadão, Globo, Folha – são a favor da mesma política de Bolsonaro no que diz respeito a esses problemas fundamentais.

Portanto, as manifestações são de esquerda e são vermelhas. A tentativa de impor o verde e amarelo é anti-democrático.

A esquerda que está cedendo a essa pressão e procura impor o verde e amarelo está sendo anti-democrática. Essa não é a vontade de quase a unanimidade das pessoas que estão na rua, por que então essas organizações insistem em seguir a direita?

O PCdoB, principalmente por meio da UNE e da UBES, e alguns setores do PSOL estão insistindo em dar outra tonalidade de cores aos atos. Eles estão servindo como correias de transmissão da direita nas manifestações.

Não por acaso, são exatamente esses dois partidos os principais defensores da frente ampla, que é justamente a política que coloca a esquerda e o povo a reboque da direita golpista.

Eles estão abrindo as portas para que a direita se aproprie de uma mobilização que não é deles. A esquerda precisa se unir em torno de suas bandeiras, suas reivindicações e derrubar Bolsonaro e os golpistas.

A esquerda não tem que o que esconder, não precisa disfarçar suas cores. O vermelho é a cor da luta do povo e as organizações não devem abandonar suas bandeiras. Não deve permitir que se repita 2013, quando a direita fez a mesma manobra e a esquerda ficou confusa.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.