Siga o DCO nas redes sociais

Luta Política
Esquerda não é instituição de caridade
As organizações de esquerda devem impulsionar a luta política por reivindicações que atendam as necessidades de toda a população
fora-bolsonaro-tempo-de-noticia-not6057-1024x585-1
Luta Política
Esquerda não é instituição de caridade
As organizações de esquerda devem impulsionar a luta política por reivindicações que atendam as necessidades de toda a população
O povo pode e merece muito mais que migalhas
fora-bolsonaro-tempo-de-noticia-not6057-1024x585-1
O povo pode e merece muito mais que migalhas

Por Izadora Dias

Diante a crise que está se agravando dia após dia com a pandemia do vírus Corona, o governo golpista, como já esperado, tem aumentado os ataques contra a classe trabalhadora e não tem tomado nenhuma medida eficiente para impedir o avanço das contaminações e o número de mortes no País.

Claro que diante desta situação, a população percebendo que não poderá esperar nada dos governos além de desgraça, começa agir por si. Em inúmeros bairros, os moradores começaram espontaneamente a fazer campanhas para recolher alimentos e dinheiro, para reverter em cestas básicas às famílias que ficarão sem renda durante a quarentena.

A população está corretíssima em se organizar, inclusive a sua organização nesse momento é fundamental para sua sobrevivência durante essa profunda crise capitalista.
A questão é que alguns setores da esquerda, que deveriam agir no sentido de organizar esses moradores para lutarem por reivindicações fundamentais para as massas, tem feito também campanha de doações, seja de alimentos, ou de itens para os hospitais, como máscaras, luvas e álcool gel.

O papel da esquerda nunca foi o de promover caridade, o Estado tem a obrigação de garantir todas as necessidades da população. As campanhas de doações, além de não suprirem a total necessidade, alivia o governo da responsabilidade de agir como deveria e deixa livre mais dinheiro a ser repassado aos banqueiros. Algo que inclusive já está encaminhado para ser feito, com o aval do governo bolsonarista, o Banco Central anunciou na ultima segunda-feira(23/03) que poderá injetar na economia 1,2 trilhões de reais, para salvar os bancos e não as pessoas.

Frente a tal atrocidade, a esquerda precisa lutar urgentemente pelo Fora Bolsonaro, pela estatização dos hospitais e das industrias farmacêuticas, pela construção de milhares de leitos de UTI, pela distribuição gratuita de máscaras, luvas, álcool gel, remédios, além de outras medidas que garantirão a sobrevivência de toda a classe trabalhadora, durante a epidemia e a forte recessão que se aproxima mundialmente.