Aqui não se fala mal do futebol brasileiro

Uma política sem futuro

Esquerda não deveria embarcar na onda do “Cepa América”

O que une os trabalhadores e as massas é a luta contra o governo Bolsonaro e o conjunto da direita golpista, questões segundárias servem apenas para tergiversar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Taça da Copa América, seleção brasileira é a atual campeã – Lucas Figueiredo / CBF

Na última segunda-feira (31), o governo federal anunciou que até o fim do ano 2021 toda a população brasileira será vacinada, embora sem detalhar o plano de imunização. No dia seguinte (01), o governo confirmou a realização da Copa América no país. As medidas ocorreram poucos dias após as grandes manifestações populares exigindo a queda do governo genocida de Jair Bolsonaro, que ocorreram em 29 de maio e que tomaram conta de centenas de cidades no país.

Foi a forma que o governo genocida de Bolsonaro encontrou para dissipar um tanto a forte oposição que encontra nos meios populares, justamente pelo caráter antipopular, reacionário, criminoso, genocida, traidor de seu governo. Junto a essas medidas, o governo demagogicamente sinaliza que boas novas na economia se aproximam. Quer convencer a população, cujo desejo e a necessidade impelem à luta inteligente para derrubar o governo, de que não é hora para grandes reviravoltas políticas; o país estaria entrando no eixo. Pura demagogia, o país está na beira do abismo ou talvez esteja caindo nele, ao menos em relação à classe operária e à população pobre.

A direita tradicional, que não perde a oportunidade de desgastar o governo e levantar um candidato seu para as próximas eleições – que fique claro, essa direita quer desgastar o governo e levantar um candidato seu, caso possível, mas de maneira alguma descartá-lo completamente já que Bolsonaro é sua segunda opção – aproveitou a reação de Bolsonaro, notadamente a vinda de um evento internacional para o país, que Bolsonaro trouxe justamente para subir sua popularidade, um pouco que seja, na classe operária e nas camadas populares, para novamente criar uma ponte entre esquerda e direita e arrastar a esquerda atrás de si.

A imprensa capitalista, especialmente a golpista Rede Globo, saiu ao ataque do evento, ainda que hoje no país estejam ocorrendo diversos campeonatos, ainda que a população esteja toda trabalhando, a indústria e o comércio funcionando, os transportes lotados, etc. Classificaram como um ato insensato e imoral do governo sediar um evento internacional no meio da Covid-19. Nem Bolsonaro, nem a direita tradicional nos governos estaduais, que falam por meio da imprensa capitalista, fizeram absolutamente nada para conter a pandemia, ao contrário, a gestão dos “científicos” e do “obscurantistas”, ambas foram vetores da proliferação e de aumento exponencial da matança da população. Foi a completa inação dos governos todos que trouxe a 470 mil mortos.

A esquerda pequeno-burguesa, que apesar do discurso, tende à conciliação com a direita, pois se considera fraca para combater Bolsonaro, traduziu a posição da direita tradicional da seguinte maneira: a tarefa do momento é a luta contra a Copa América. Até mesmo manifestações foram chamadas com esse intuito.

Assim forma-se uma frente esdrúxula, a esquerda pequeno-burguesa e a direita tradicional liderada pela Globo de uma lado, condenando o evento em nome da moralidade universal, e de outro Bolsonaro, por puro oportunismo; e todo um setor da classe operária e de setores populares de outro lado, isso porque tais setores não veem a Copa América como sendo o mais terrível dos pecados e gostaria de apreciar um dos torneios mais sensacionais do mundo, afinal tem vários torneios ocorrendo que podem ser assistidos na Globo, inclusive.

Também não será um oba oba, haverá regras para impedir aglomeração. Tem que se destacar que essa direita e a imprensa fizeram campanha e abriram as escolas em diversos locais, que promove uma aglomeração muito mais contagiosa, também não há nenhum tipo de condenação ao transporte público lotado. Porque um torneio, estabelecido critérios sanitários, não poderia ocorrer, já que os estaduais ocorreram e o Brasileirão e a Libertadores estão ocorrendo? Poderiam se perguntar muitos dos amantes do futebol ao se deparar com o mantra “não vai ter Copa” revivido por setores da esquerda pequeno-burguesa.

Em realidade, a operação da burguesia consiste em tornar o movimento pela derrubada do golpe e dos golpistas que ressurge massivo em um movimento de pressão contra medidas do governo, por um lado, e de outro afastar a classe operária das ruas. Assim, o movimento pode servir à direita, afastando os trabalhadores da esquerda. Porém, a esquerda seguindo essa política leva os trabalhadores para as mãos… de Bolsonaro!

O afastamento das massas da mobilização a deixa mais suscetível à demagogia barata do bolsonarismo. O país está sendo destruído e as pessoas que se colocam à frente para dirigir o povo estão entretidos combatendo a Copa América, um torneio de futebol, esporte por excelência do povo brasileiro.

A esquerda não deve embarcar na canoa furada da luta contra a Copa América, que não levará o movimento a lugar algum, a não ser à derrota. Concentrar todas as forças na luta contra Bolsonaro e todos os golpistas. Unir forças com os trabalhadores, sejam os a favor ou contra o evento, não tem importância alguma, mas uni-los sob a base de seus interesses reais.

O governo Bolsonaro, assim como o da direita tradicional, é um governo dos opressores mais vis do povo, que destrói as condições de vida do trabalhador brasileiro, que o leva à miséria e à morte, um governo inimigo. Foi o interesse de libertar-se dos opressores do povo que mobilizou meio milhão a sair às ruas em 29 de maio, é esse interesse que irá mobilizar e unificar milhões no decorrer da luta pela derrubada de Bolsonaro.

Prender-se em aspectos ultra-secundários diante da magnitude dos interesses em jogo, é querer tornar algo grandioso em nada.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.