Dissimulação
Esquerda “passa pano” para João Doria elogiando a vacina, desaparece e deixa o fascista aparecer como opositor a Bolsonaro
SÃO PAULO, SP, 27.10.2018: JOAO DORIA - SP: O candidato a governador de São Paulo, João Dória (PSDB), faz campanha corpo a corpo com eleitores no bairro do Capão Redondo, zona sul de São Paulo (SP), neste sábado (27). (Foto: Luiz Claudio Barbosa/Código19/Folhapress) ***PARCEIRO FOLHAPRESS - FOTO COM CUSTO EXTRA E CRÉDITOS OBRIGATÓRIOS***
Frente ampla coloca Doria como opositor a Bolsonaro | Foto: reprodução
SÃO PAULO, SP, 27.10.2018: JOAO DORIA - SP: O candidato a governador de São Paulo, João Dória (PSDB), faz campanha corpo a corpo com eleitores no bairro do Capão Redondo, zona sul de São Paulo (SP), neste sábado (27). (Foto: Luiz Claudio Barbosa/Código19/Folhapress) ***PARCEIRO FOLHAPRESS - FOTO COM CUSTO EXTRA E CRÉDITOS OBRIGATÓRIOS***
Frente ampla coloca Doria como opositor a Bolsonaro | Foto: reprodução

No dia 17 de janeiro, foi autorizada a utilização emergencial vacina chinesa Coronavac e a realização da primeira vacinação do país no estado de São Paulo. O fato de ocorrer em São Paulo, estado governado pelo fascista João Doria, fez com que a burguesia nacional realizasse uma ampla campanha em torno da vacina e uma grande propaganda de João Doria como grande político e um dos responsáveis pela vacina. Uma enorme farsa!

João Doria montou a sua campanha eleitoral em torno da vacina contra o coronavírus e desde então veio “cavalgando” sozinho com grande propaganda em torno da sua figura e os resultados foram uma enorme crise e uma disputa devido a inúmeros problemas da vacina que vamos discutir mais abaixo.

Essa grande farsa foi endossada por setores da esquerda pequeno burguesa devido ao fato de declarações exaltando a vacina sem nenhuma crítica ao que está ocorrendo e ignorando o fato de toda a burguesia estar fazendo propaganda de João Doria e de um processo de vacinação que ninguém sabe onde vai chegar.

A deputada federal Sâmia Bomfim, do PSOL, partido que faz forte oposição a Doria, seguiu a mesma linha de Padilha, citando o Butantan e cobrando a Anvisa. “Vitória da ciência. Viva o SUS e o Instituto Butantã! Vacina para todos já! “, escreveu, em sua rede social.

O candidato psolista Guilherme Boulos foi no mesmo caminho e disse que “A vacina do Butantan é resultado do esforço de centenas de cientistas de uma instituição pública e de milhares de profissionais de saúde voluntários. É uma vitória coletiva da ciência brasileira, do SUS, do serviço público. E uma derrota de Bolsonaro e sua política da morte”.

 

Esquerda esquece e não critica Doria

 

O apoio envergonhado da esquerda pequeno burguesa é uma total capitulação ao fascista João Doria e esquecendo o que ele fez durante quando foi prefeito de São Paulo e como atual governador de São Paulo.

Os elogios ao Instituto Butantã e aos servidores é pura demagogia e serve apenas para endossar a política de Doria e do PSDB paulista. Isso porque não foi citado em nada os atos criminosos de Doria como governador.

Não é por acaso que os discursos são extremamente parecidos entre os esquerdistas citados nesta matéria e João Doria, como “vitória da ciência”, “Viva o Butantã”, “contra a política da morte” e coisas similares.

Desde o início da pandemia, João Doria tentou por três vezes cortar o orçamento da pesquisa no estado de São Paulo. Fora três projetos de lei para cortar diretamente 1 bilhão de reais dos órgãos de pesquisa, desvinculação de recursos para a ciência e para as universidade públicas.

Além disso, João Doria foi um dos responsáveis por fechar o maior número de leitos de Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) em números absolutos. Foram 918 leitos de UTI fechamos, 32% do número total de leitos no momento de agravamento da pandemia onde todos sabiam e anunciavam uma segunda onda ainda mais grave que o primeiro pico da pandemia.

 

A crise da vacina de Doria

 

Ficou evidente que João Doria, um conhecido direitista e antipovo de São Paulo, está fazendo uma enorme propaganda para as eleições em 2022 com a vacina coronavac. Mas os planos não foram conforme o planejado.

Uma primeira crise foi o anúncio da eficácia da coronavac que não obteve números que estavam sendo propagandeados por João Doria. A demonstração disso foi a prorrogação por mais de uma vez o anúncio dessa eficácia e que após uma enorme crise foi anunciado um valor de apenas 50%.

Uma enorme derrota a Doria e a tentativa de fazer propaganda da vacina, pois essa vacina tem a mais baixa eficácia das vacinas e um custo elevadíssimo, pelo menos três vezes maior que as outras. Há também uma correria porque o governo de Jair Bolsonaro está tentando adquirir vacinas de outros países, como a Índia e poderia capitalizar o início de toda a vacinação no Brasil. Diante disso, a burguesia correu para fazer a primeira vacinação do país e ligar esse fato ao governador fascista de São Paulo.

 

Quem acredita em João Doria?

 

A propaganda da esquerda para João Doria é um enorme desserviço para a esquerda e a luta contra o golpe. As declarações sem nenhuma crítica são apenas propaganda e escondem o papel genocida e mentiroso que Doria cumpre para atacar a população.

Passada a euforia criada pela imprensa burguesa após a primeira vacina ficou evidente que não há vacinas e não existe nenhum plano para a vacinação para nenhuma parcela significativa da população. Apesar de toda a propaganda, a quantidade disponível é ínfima e até apareceu que não existe sequer mais matéria prima para a fabricação de mais vacinas.

A falta de qualquer plano de Doria ficou evidente nesse caso onde, apesar de culpa Bolsonaro e do processo de demora em liberação da matéria prima que se encontra na China, fica evidente que não existe a mínima intenção em um processo de vacinação em massa, mas simplesmente fazer propaganda de Doria.

Nesse sentido a esquerda pequeno burguesa que defende a frente ampla com Doria e dá declarações “positivas” sobre a vacina esconde a política genocida da direita e credita a informação sobre a vacinação propagandeada pela direita e Doria.

Somente uma esquerda sem nenhum escrúpulos e que também quer surfar na “onda” da vacina de João Doria cumpre esse papel nefasto e capitulador.

 

Esquerda desaparece e Doria aparece como opositor a Bolsonaro

 

Esse papel que a esquerda pequeno burguesa está cumprindo é proposital. É proposital porque essa é a famosa frente ampla defendida pela esquerda pequeno burguesa. Conforme a vontade e iniciativa de Guilherme Boulos, Fernando Haddad, Jaques Wagner, Tarso Genro e muitos outros elementos da ala direita de partidos de esquerda que estão a reboque da direita sob a justificativa de combater o fascismo e Bolsonaro com elementos fascistas e “ex” bolsonaristas como Doria.

Esse desserviço de esquerdistas está criando as condições para que os elementos mais fascistóides da política nacional e da direita golpista apareçam como grandes estadistas e defensores da ciência e do povo.

É necessário que denunciar os planos da direita e a disputa de organizações criminosas entre Doria contra Bolsonaro. Que não há nada de benefício para a população entre um e outro, apenas uma disputa entre setores da burguesia golpista para esconder que nenhum dos dois fizeram nada contra o coronavírus e nem para dar apoio para a população. Uma suposta cura para o coronavírus está muito longe de acontecer e a vacinação da população ainda está ainda mais distante.

Nesse momento é preciso destruir o rótulo dado pela esquerda a João Doria como “científico”, “civilizado” ou coisa parecida. É um genocida e fascista como Jair Bolsonaro.

Relacionadas
Send this to a friend