Ditadura da Rede Globo nas transmissões dos jogos de futebol está ameaçada
Conmebol
Ditadura da Rede Globo nas transmissões dos jogos de futebol está ameaçada
Conmebol

Um acordo inédito poderá, em breve, estar colocando um fim, ainda que de forma parcial, a uma das mais longas e impopulares ditaduras vivenciadas pelo país. Trata-se da ditadura imposta pelos monopólios que controlam a transmissão dos jogos de futebol e os eventos esportivos de uma forma geral no país, em particular o monopólio exercido com mão de ferro pela família Marinho, proprietária das Organizações Globo.

“A DAZN, empresa responsável pelo primeiro serviço de streaming puramente de esporte do mundo, anunciou uma parceria com todos os clubes brasileiros que disputarão a Copa Sul-Americana na temporada 2019. O acordo prevê a transmissão simultânea dos jogos pelos canais do DAZN no Facebook e no YouTube. Além disso, os clubes poderão transmitir seus respectivos jogos em seus perfis no Facebook” (Gazeta Esportiva online, 05/02).

A Copa Sul-Americana é o segundo mais importante torneio de clubes do continente, ficando atrás apenas da Taça Libertadores, em prestígio e público. Um dado curioso é que em termos de cifras, a Sul-Americana distribui premiação superior à que é dada aos times que chegam às finais da Libertadores, embora a entidade que organiza os dois torneios seja a mesma, a Conmebol.

Dessa forma, os times brasileiros que disputam a competição nesta temporada (Bahia, Botafogo, Chapecoense, Corinthians, Fluminense e Santos) poderão compartilhar as partidas ao vivo, gratuitamente, até o lançamento da plataforma, previsto para março.

Embora a iniciativa seja positiva, faz-se necessário que haja uma grande mobilização popular no sentido da ampliação deste acordo para que todas as mais importantes competições de futebol (Copa do Brasil, campeonatos estaduais, campeonato nacional, Libertadores) e outras modalidades esportivas praticadas no país se emancipem do jugo opressor e impositivo das grandes emissoras, quebrando a espinha dorsal dos monopólios, em particular da golpista Rede Globo.