Na partida de entrega da taça ao Palmeiras, Bolsonaro é vaiado e xingado pela torcida

Palmeiras Bolsonaro

O golpista e reacionário Jair Bolsonaro, eleito presidente sob um processo inteiramente fraudulento, vem tentando construir uma imagem popular diante do eleitorado nacional e do povo brasileiro, que não lhe concedeu a maioria de votos nas eleições fraudadas de 2018. Bolsonaro vem fazendo aparições públicas em peregrinações por algumas das regiões do país em busca de uma popularidade que, na verdade, nunca teve.

Em uma dessas tentativas de se fazer passar por popular, o ex-capitão do exército tem comparecido a eventos públicos onde há uma certa concentração de populares. De forma completamente oportunista, o agora presidente, apoiado por um setor da direita e da extrema-direita nacional, foi convidado pela diretoria do Palmeiras (patrocinado por um grupo empresarial cuja atividade é emprestar dinheiro a juros escorchantes para a população endividada, a Crefisa) para a última partida do time pelo campeonato nacional, onde seria realizada a entrega da taça ao “Verdão”, conquistada por antecipação na penúltima rodada.

Bolsonaro se apresentou nas redes sociais durante sua campanha fraudulenta, mentirosa e enganadora ostentando várias camisas de times populares do país, como o Flamengo, Vasco, Atlético-MG, Botafogo e outros. É certo que se o campeão brasileiro fosse qualquer um dos outros times, Bolsonaro estaria vestindo a camisa campeã, pois o que interessa ao presidente ilegítimo e fascista é a oportunidade de fazer demagogia e tentar se identificar com as manifestações populares.

Uma parte da torcida palmeirense presente ao estádio, no entanto, recepcionou Bolsonaro de forma não muito cordial. Não foram poucos os torcedores que o xingaram e o chamaram de oportunista. Bolsonaro assistiu a partida da tribuna de honra, acompanhado do não menos fascista Major Olímpio, eleito senador por São Paulo e um dos mais ferozes inimigos dos torcedores e do futebol, tendo apresentando projeto que prevê a extinção das torcidas organizadas e uma repressão ainda maior nos estádios, com a ampliação do policiamento.

Para completar o espetáculo oportunista e deprimente da presença do presidente extremista ao estádio, o jogador Felipe Melo (bolsonarista declarado) e o técnico Luis Felipe Scolari prestaram continência ao presidente fraudulento. Embora o esforço de uma legião de puxa-sacos e direitistas de todos os matizes seja grande no sentido de tentar fazer popular a impopular figura de Bolsonaro, o fato é que muito rapidamente as ilusões ainda existentes irão se dissipar, deixando em evidência o verdadeiro caráter farsesco de Bolsonaro e seu “programa” de governo, que não tem outra finalidade a não ser atacar a economia nacional e a população pobre e explorada do país.