Siga o DCO nas redes sociais

Teatro e ditadura
Espetáculo reconstitui o Ato institucional nº 5
Arena Conta AI-5 oferece varias atividades culturais sobre o período mais repressivo da ditadura.
peca_ai-52121736
Teatro e ditadura
Espetáculo reconstitui o Ato institucional nº 5
Arena Conta AI-5 oferece varias atividades culturais sobre o período mais repressivo da ditadura.
Cena do espetáculo “AI-5: Uma Reconstituição Cênica” | fotografia: Giorgio Donofrio.
peca_ai-52121736
Cena do espetáculo “AI-5: Uma Reconstituição Cênica” | fotografia: Giorgio Donofrio.

Acontecerá em São Paulo, entre os dias 1 a 29 de outubro, o projeto ARENA CONTA AI-5. A ocupação será realizada em dois espaços culturais: no próprio Teatro de Arena Eugenio Kusnet  e no Teatro da Cia. Do Feijão, localizados na rua Teodoro Baima, nº 94 e 68.

No Teatro de Arena, as atividades acontecem de quarta a domingo e na Cia. Do Feijão às terças-feiras. O projeto consiste na reunião de várias atividades culturais como cinema, oficinas, leituras dramáticas e  a apresentação da peça AI-5 aos sábados e domingos.

Ato institucional nº5

 O AI-5 foi uma resposta do imperialismo para conter o acirramento da luta de classes no Brasil com as grandes mobilizações estudantis ocorridas em 1968 e a tendência crescente da entrada em cena do movimento operário expressa com a greve dos metalúrgicos de Osasco, em junho e um pouco antes, dos metalúrgicos de Contagem, ambas naquele mesmo ano.

A função do ato foi fechar o  Congresso Nacional, passando as funções legislativas ao presidente da República; suspensão dos direitos políticos e das garantias constitucionais, como a suspensão do habeas corpus (instrumento jurídico de garantia de liberdade individual); intervenção federal em estados e municípios; e a possibilidade do presidente decretar estado de sítio sem autorização do Congresso.

A partir da sua instauração, inicia-se o período mais repressivo da ditadura, com a instauração de centenas de processos políticos contra opositores do regime, intervenção nos sindicatos e uma crescente política de prisões, torturas e assassinatos.

 O espetáculo

 O espetáculo “AI-5: Uma Reconstituição Cênica” reconstitui a reunião do Conselho de Segurança Nacional de 1968, momento este que foi instaurado o Ato Institucional nº 5 que cassou os direitos políticos e aumentou a repressão da ditadura militar.

O trabalho foi concebido em 2016 a partir do desejo de divulgar o conteúdo da reunião dos ministros que emitiu o decreto. A ata dessa reunião é pública e está disponível na Internet. No entanto, poucas pessoas conhecem essa material. Infelizmente, a maioria mal conhece o que de fato foi o Ato Institucional e o que ele representou historicamente.

A peça conta com um elenco de 21 atores e um diretor/idealizador. O espetáculo se passa na sala de reunião do Conselho de Segurança Nacional onde foi assinado o documento oficial do AI-5.

O objetivo dessa reconstituição cênica foi a de criar pontes de atrito e crítica entre as palavras proferidas em 68 e as palavras hoje pronunciadas pelos golpistas pós 2016. Palavras que são repetidas pelos detentores do poder, poder que potencializa a ganância e a mesquinharia.

De acordo com o projeto, o objetivo foi, a partir de um retorno a essa história e a essas figuras históricas, criar um jogo que vai do distanciamento ao patético criando um  espaço de diversão, diálogo e espaço de crítica.

Ficha técnica

Concepção e direção: Paulo Maeda

Assistência de direção: Thammy Alonso

Elenco: André Castelani, André Pastore, Caio Marinho, Cristiano Alfer, Emerson Grotti, Francisco Damasceno, Gero Santana, Lucas Scandura, Marcelo Coutello, Mario Spatizziani, Pedro Felício, Rafael Castro, Ramon Gustaff, Ricardo Socalschi, Roberto Mello, Rogério Fraulo, Thales Alvez, Thammy Alonso, Thiago Marques, Thiago Meiron e Wilson Saraiva.

Áudio de Márcio Moreira Alves: Ronaldo Serruya

Arte gráfica: Lenna Felippe

Vídeos: Lucas Scandura

Agradecimento e apoio: Paulo Goya e Casarão do Belvedere