Sob a batuta do imperialismo
Vacina russa é indesejada pela burguesia mundial
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
vacina
Teste para vacina | Foto: Dado Ruvic/Reuters

Nesta terça-feira (11), o governo russo anunciou a primeira vacina para COVID-19 no mundo, que recebeu o nome de “Sputnik V”. O país conseguiu, assim, sair na de todos os países imperialistas, lançando-se em um mercado altamente lucrativo. No que depender dos Estados Unidos e da União Europeia, a vacina russa não deverá ser difundida pelo mundo, pois isso resultaria em um prejuízo extraordinário para esses países no que diz respeito à sua posição na indústria farmacêutica.

Por isso, o imperialismo já começou a incentivar todo tipo de campanha contra a vacina. “Especialistas” que tiveram voz em veículos da imprensa burguesa, como O Globo, já estão alardeando em nome da “desconfiança” com a vacina. Em um dos artigos do jornal golpista, lê-se: “ainda é cedo para comemorar”.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas